Projeto

Apesar da leitura, projeto não tem data para ir à votação; Andrezinho da Farmácia, um de seus autores, afirmou que irá falar com estudantes antes de projeto seguir adiante

Publicado: 04/12/17 • 17h04
Atualizado em: 06/12/17 • 09h41

Um projeto de lei que institui o programa Escola sem Partido no sistema municipal de ensino foi lido na sessão de segunda-feira (27) na Câmara de Vereadores de Rolândia. O autor principal do projeto, Andrezinho da Farmácia (PSC), afirmou ao JR que o projeto não irá para votação nas próximas semanas. "Vou falar com mais pessoas, com alunos e professores sobre o projeto", revelou Andrezinho. Além dele, assinam o projeto em coautoria Alex Santana (PSD), Rodrigão (SD) e Reginaldo Silva (SD).

"Acho que é importante para prevenir a prática de doutrinação, tanto política quanto ideloógica nas escolas. Estamos vendo que os direitos dos pais estão sendo tirados", afirmou André. O vereador também disse que nas escolas há professores que fazem essa doutrinação. "Mas não são todos", ressaltou. "O projeto quer barrar isso.

Segundo o vereador, chegaram informações até ele de que há professores que pedem para votar em tal candidato ou pedem que o aluno não seja católico ou evangélico.

Andrezinho afirmou que chegou a falar com alguns alunos, que falaram que isso acontece em alguns colégios estaduais. "Essa doutrinação tem que ser impedida e serve para todos, para a esquerda ou direita", alertou o parlamentar.

"A liberdade de aprender é assegurada pelo artigo 206, da Constituição Federal, compreende o direito do estudante que seu conhecimento da realidade não seja manipulado por fins políticos ou ideológicos por seus professores", salientou Andrezinho. O vereador afirmou que irá fazer um debate com os alunos para saber se isso realmente está acontecendo. "Dependendo da respostas deles, talvez o projeto nem vá pra votação", finalizou.

Fotos desta matéria

Envie seu comentário:
Comentário mediante a aprovação.