A 1ª professora negra de Rolândia

Jandira Amélia da Silva Rodrigues se dedicou à educação rolandense por décadas

Publicado: 06/12/17 • 17h34
Atualizado em: 09/12/17 • 21h43

Com quase 40 anos vividos dentro de salas de aula e envolvida com Educação, Jandira Amélia da Silva Rodrigues (74) foi a 1ª professora negra de Rolândia. Para ela, o preconceito nunca foi um obstáculo ao longo de sua trajetória dedicada ao ensino. “Desde pequena eu sempre pensei: não é porque você é negra que vai ser menos que os outros, eu quero ser igual. Não quero ser nem mais, nem menos, mas igual aos outros. Quero que os outros também me tratem igualmente, para não haver diferença nenhuma”, afirmou.

Mesmo assim, a professora acredita que o racismo ainda é um problema muito presente no Brasil. “Eu acho que tem muita discriminação”, declarou. “Para empregos, por exemplo, se têm dois candidatos, um é negro e outro é branco, na maioria das vezes eles vão preferir o branco, mesmo que ele não tenha a qualificação do negro, mesmo que ele seja menos qualificado”, apontou.

Jandira acha que essas situações ainda acontecem por um problema na formação cidadã e familiar. “Eu acho que falta respeito e educação. Se o filho é assim, é porque houve alguma coisa em casa, alguém falou ou discriminou, porque eu acho que uma criança não vai inventar algo assim e discriminar a outra”, opinou a professora.

História e trajetória
Jandira nasceu em Rolândia, por coincidência no Dia Internacional da Mulher, 8 de março de 1943. É filha de Antonio Cassiano da Silva, natural de Santa Rita de Jacutinga (MG) e Sebastiana Amélia da Silva, de Inácio Uchoa (SP), já falecidos. Jandira é casada desde 1965 com Durval Antonio Rodrigues (77) e tem quatro filhos: Áurea, Marcos, Edson e Marcelo e três netos.

Jandira terminou o colegial no Colégio Estadual Souza Naves com 17 anos e, quando completou 18 anos, procurou a Prefeitura, falou com o prefeito Amadeu Puccini e foi enviada para trabalhar no grupo escolar da Vila Oliveira, que hoje é o Colégio Villanueva. Ela lecionava para turmas da primeira a quarta série. Pouco tempo depois, ela foi nomeada professora do Estado. Em 1970, ela deixou a sala de aula para assumir a diretoria do grupo escolar, cargo que ocupou por cerca de três anos antes de integrar a secretaria de Educação no distrito de São Martinho. Foi nesse momento que ela começou a estudar Matemática, mesmo já sendo formada em Pedagogia pela Faficla de Jandaia do Sul, nos anos 60.

Com a nova formação, ela passou a lecionar para turmas do quinto ao oitavo ano no distrito. Nos anos 80, ela foi aprovada no concurso estadual para ser professora de Matemática e escolheu lecionar no Villanueva, local onde tudo começou em sua carreira profissional. Além de dar aulas, ela trabalhou na secretaria do colégio. Jandira se afastou das salas de aula há cerca de 22 anos, quando se aposentou.






Fotos desta matéria

Envie seu comentário:
Comentário mediante a aprovação.