Ainda com o futuro incerto

Monsenhor José Agius deve deixar o paroquiado da Igreja Matriz São José em fevereiro

Publicado: 07/12/17 • 08h42
Atualizado em: 09/12/17 • 09h23

Depois de 49 anos em Rolândia, Monsenhor José Agius, conhecido carinhosamente como Padre Zé, está renunciando ao paroquiado da Igreja Matriz São José, atendendo a uma orientação do Arcebispo de Londrina, Dom Geremias Steinmetz. “Não tem nada de anormal no fato de renunciar ao cargo, mas permaneço padre o resto da vida, não estou renunciando ao sacerdócio, apenas ao paroquiado”, esclareceu. 

A recomendação da Igreja é que os clérigos renunciem ao seu cargo ao completar 75 anos. Padre Zé, que completou 76 neste ano, acatou a orientação e se colocou à disposição do arcebispo. Ele só deixa de ser pároco no momento da posse do novo padre, que deve acontecer até o mês de fevereiro de 2018. “Agora é esperar quando chegar o dia do arcebispo vir aqui fazer a respectiva troca”, afirmou. 

Padre Zé ainda não decidiu o que fará quando Rolândia tiver um novo pároco. “Tudo é possível”, afirmou. Nascido em Malta, ele chegou ao Brasil em 1961 e tem quatro irmãos: dois estão na Austrália e dois permaneceram em Malta, locais que são possíveis destinos do Monsenhor. “Se eu quiser posso ficar [em Rolândia], posso passar uns meses fora e depois voltar, mas meu futuro eu ainda não decidi”, contou. 

Joseph Bernard Agius
Nascido em 1942 em uma pequena ilha chamada Gozo, próximo a Malta, país perto da Itália, com o nome de Joseph Bernard Agius, Padre Zé se afirma rolandense de coração. “Aqui é meu lugar”, declarou. Ele acompanhou o crescimento e desenvolvimento da cidade ao longo dos anos à frente da Paróquia, pela qual tem imenso carinho. “É claro que a gente sente de ter que deixar o cargo, mas posso permanecer padre por aqui”, afirmou. 

Fotos desta matéria

Envie seu comentário:
Comentário mediante a aprovação.