Rolândia: imprevistos na trincheira e pátio de manobras adiantado

As duas obras de infraestrutura do DNIT, que estão sendo executadas em Rolândia, andam em passos diferentes

Publicado: 14/05/18 • 11h34
Atualizado em: 16/05/18 • 09h35

    As obras da trincheira e do pátio ferroviário de manobras em Rolândia foram iniciadas há aproximadamente dois meses, em março. No entanto, a obra da trincheira anda a passos mais lentos, devido a algumas surpresas no andamento: fibras óticas e linhas adutoras de água. “É normal esse tipo de acontecimento, obras em perímetro urbano sempre tem esse tipo de ocorrência de aparecer uma fibra ótica, uma adutora, que não estava previsto”, esclareceu Max Alberto Cancian, coordenador de Engenharia da Superintendência Regional do DNIT (Depart. Nacional de Infaestrutura de Transportes).

    O que ocorreu na obra, é que foram encontradas duas linhas adutoras de água de aproximadamente 25 a 30 cm que passam pelo local da obra e exigem uma ação conjunta da Sanepar, prefeitura e DNIT. A previsão é que essa questão seja resolvida em 30 dias. “Depois de algumas reuniões, conseguimos entrar em um consenso. O DNIT vai fornecer a parte de materiais adicionais, a Sanepar vai fornecer a mão de obra e a prefeitura vai fornecer as máquinas necessárias para terminar essa parte de adução”, detalhou Cancian. A questão da fibra ótica, também encontrada na obra, já foi resolvida.

    Enquanto isso, a obra tenta se adiantar em outros aspectos. Os trabalhadores continuam com atividade de corte e dobra de armaduras da trincheira propriamente dita e com a confecção das pré-lajes. “Com isso a gente ganha tempo e não perde tanto com esse desvio no nosso cronograma”, explicou o coordenador de engenharia.

    O próximo passo da trincheira é a o desvio lateral, com o início das fundações. “Vamos concretar os pilares e propriamente começar a escavar”, adiantou. Cancian afirma que os acontecimentos não deverão acarretar em grande atrasos na obra. “Estamos trabalhando para entregar esta obra o mais rápido possível e queremos entregar pelo menos a passagem de veículos até o final do ano”, garantiu. O recurso para a obra, de R$ 8,744 milhões, é proveniente de um esforço comum da bancada paranaense dentro da Câmara Federal.

    Pátio - Diferente da trincheira, as obras do pátio de manobras estão adiantadas. Segundo Cancian, a terraplenagem foi praticamente concluída, restando somente terminar a parte de drenagem dos bueiros. Em poucos dias, deverá ser iniciado o sublastro. A previsão é que em 45 dias os trilhos já estarão sendo montados e que a obra será entregue antes do prazo, que era em torno de 12 a 14 meses, a partir do seu início, em março. A obra tem o valor de R$ 2.434.997,97.

Fotos desta matéria

Envie seu comentário:
Comentário mediante a aprovação.