Andamos pela Fé

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
  1. Home
  2. /
  3. Notícias
  4. /
  5. Colunas
  6. /
  7. Andamos pela Fé

Por Humberto Xavier Rodrigues

No capítulo 11 de Hebreus, encontramos diferentes aspectos da fé na vida de várias testemunhas do Antigo Testamento. Em Abel, vemos a fé se apropriar da redenção, ao oferecer a Deus um sacrifício aceitável, o qual, em figura, apontava para a Pessoa de Cristo. Pela fé, Abel ofereceu a Deus mais excelente sacrifício do que Caim; pelo qual obteve testemunho de ser justo, tendo a aprovação de Deus quanto às suas ofertas. Por meio dela, também mesmo depois de morto, ainda fala. Hebreus 11:4.

Em Enoque, vemos o andar pela fé em direção ao alvo celestial. Pela fé, Enoque foi trasladado para não ver a morte; não foi achado, porque Deus o trasladara. Pois, antes da sua trasladação, obteve testemunho de haver agradado a Deus. Hebreus 11: 5. Juntos, vemos a fé que se inicia em Abel e a fé que termina em Enoque. A vida cristã é caracterizada pela fé, do princípio ao fim: de “fé em fé”.

De fé em fé”, como está escrito: “Mas o justo viverá por fé”. Aqui não é dito, de fé em obras, nem, de obras em obras; mas, de ‘fé em fé”, isto é, somente pela fé. Do princípio ao fim, a salvação é pela graça, mediante a fé, na retidão justificadora de Cristo.

Uma vez que o apóstolo Paulo não está propondo algo novo, ele confirma este fato, fundamentado no Velho Testamento, mostrando que não é algo de que nunca se ouvira falar antes: Eis o soberbo! Sua alma não é reta nele; mas o justo viverá pela sua fé. Habacuque 2:4. Assim a fé da pessoa a quem Deus aprova e lhe confere a experiência.

A fé em Cristo é o único fundamento que nos permite ver o invisível e transpor o impossível. A fé em Cristo é a força interior que nós dá a habilidade de triunfar sobre todos os obstáculos. Sejam quais forem as circunstâncias, tenhamos o olhos fixos no Senhor Jesus, autor e consumador da nossa fé.

Qualquer que seja a forma de provação – tribulação, angústia, perseguição -, em todos os casos, da multiforme graça do Senhor, se manifestará de maneira infinitamente diferente. Para cada tipo de sofrimento, corresponde um tipo particular de amor. E, quando tivermos terminado a nossa jornada neste mundo, então permaneceremos, para toda a eternidade, como objetos de amor de Deus. Que Deus fale em nossos corações. Amém!!!

Humberto Xavier Rodrigues é formado em Teologia.

Humberto Xavier

Humberto Xavier

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

VEJA TAMBÉM:

Colunas

A Torre dos Sinos

Memórias do Padre Zé Observando atentamente os documentos históricos guardados no arquivo paroquial, reparei que na planta original da Igreja Matriz São José já constava

Colunas

Mais Excelente Nome

Por Humberto Xavier Rodrigues Ele, que é o resplendor da glória e a expressão exata do seu Ser, sustentando todas as coisas pela palavra do