Dia da Consciência Negra – parte 1

  1. Home
  2. /
  3. Notícias
  4. /
  5. Colunas
  6. /
  7. Dia da Consciência Negra...

Por Samuel M. Bertoco

12 Anos de Escravidão: Vencedor do Oscar

E ótimos filmes importantes sobre o racismo…

-Corra!: Num dos melhores filmes de terror dos últimos anos, acompanhamos Chris, um preto que namora Rose. E quando eles viajam para conhecer a família da moça – todos brancos – algumas coisas estranhas começam a rolar até virar uma situação bizarra, claustrofóbica, perturbadora e racista.

  • 12 Anos de Escravidão: Vencedor do Oscar. A trama conta a história de Solomon, um jovem livre que vive com sua esposa e filhos em 1841 e vê sua vida virada de cabeça para baixo quando é sequestrado e vendido como escravo. Filmaço de direção, fotografia e atuação impressionantes.
  • Django Livre: Django é a versão negra e Tarantinesca da história de um dos maiores pistoleiros do Oeste. Aqui, Django é um escravo que é liberto por um caçador de recompensas para ajuda-lo numa caçada. E depois tornam-se parceiros no trabalho. Quando Django fica bom o suficiente no gatilho, parte para resgatar sua esposa Broomihilda de um dos maiores escravocratas da região. Tarantino no seu melhor com destaque para atuação magistral de Leonardo Di Caprio como vilão e de Samuel L. Jackson como o capataz negro que odeia negros.
  • Moonlight: Acompanhamos a vida de Chirion, um rapaz negro, pobre e gay; desde sua infância em que convive com sua mãe viciada, mas encontra em Juan – atuação genial de Mahershala Ali – um traficante negro e gay, uma figura paterna e de cuidados. Passando por sua adolescência problemática e cheia de preconceitos, até a vida adulta, onde é um “bem sucedido” vendedor de drogas, mas volta a se questionar quando pessoas do seu passado ressurgem. Uma visão forte e tocante, mas com certa ternura de como as pessoas enfrentam vários tipos de preconceito.
  • Infiltrado na Klan: Baseada em fatos reais, Ron é um policial negro que, em 1978, conseguiu se infiltrar na Ku Klux Klan (!!??) por telefone e mandando um policial branco nas reuniões presenciais, e assim desbaratinou um atentado terrorista.Espetacular.

Menções: Cor Púrpura, Fruitvale Station, Malcom X, Estrelas além do tempo, Selma, Histórias Cruzadas, Que horas ela volta

Samuel M. Bertoco é formado em Marketing e Publicidade

Samuel Bertoco

Samuel Bertoco

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

VEJA TAMBÉM:

Cotidiano

Sobre as matérias desta edição

Editorial – edição: 873 – sexta-feira, 27/05/22 Olá, querido leitor e cara leitora do JR Neste editorial, abordaremos um pouco das matérias que estão nesta

Religião

Jesus disse ‘sim’

Por Monsenhor José Ágius Nosso catecismo básico diz que Jesus morreu para nos salvar. Difícil é explicar porque ele teve que morrer. Dizer que é