Os piores remakes já feitos

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
  1. Home
  2. /
  3. Notícias
  4. /
  5. Colunas
  6. /
  7. Os piores remakes já...

Por Samuel M. Bertoco

Os remakes de filmes são mais que realidade nos dias de hoje, são, muitas vezes o gatilho para se ganhar muito dinheiro fazendo muito pouco esforço. O cinema é infestado deles, e a gente sempre acaba lembrando de grandes acertos, como Scarface, Onze Homens e Infiltrados. Mas tem aqueles que são o exato oposto, mal feitos, mal pensados e mal executados, é desses que vamos lembrar hoje.

Conan (2011)
  • A Múmia (2017): O filme de 99 foi uma aventura deliciosa misturada com ação e humor que funciona bem demais sem se levar a sério. Numa tentativa patética de se criar um “universo dos monstros”, a Universal inventou uma cópia insossa e desastrosa com Tom Cruise como protagonista. Deu tão ruim que enterrou todos os futuros filmes que viriam nesse monstroverso.
  • Conan (2011): Era pra ser uma cópia fiel ao original de cabo a rabo. Mas uma cópia fiel deveria ter um Arnold Schwarzeneger como o bárbaro, não teve, o que teve foi um Jason Momoa muito longe de ter o carisma que tem hoje numa má vontade enorrrmeee de atuar nesse filme. Fiasco. Foto acima.
  • Psicose (1998): De todos os remakes que não deveriam ter existido esse acho que é o maior exemplo. Psicose original é um filme de 1960 que é perfeito do início ao fim e que é ótimo até hoje. O remake foi mais uma tentativa de copia e cola – como Conan – sem alma, sem criatividade e com direção e atuações que beiram o ridículo.
  • Total Recall (2021): Um clássico dos anos 90 de Arnold Schwarzeneger com alienígenas, Marte, mulheres de três peitos e muita ação. E se pensar bem, um universo muito legal que no original estava bem datado, ou seja, muito “remakável”. Só que no remake mudaram TUDO – inclusive onde se passa o filme – e ainda colocaram Colin Farrell e uma espécie de metrô que passa pelo núcleo da terra. Mais errado impossível.

Menções Honrosas: Caça Fantasmas(2012), Hora do Pesadelo(2010), Desejo de Matar (2018).

Samuel M. Bertoco é formado em Marketing e Publicidade

Samuel Bertoco

Samuel Bertoco

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

VEJA TAMBÉM:

Colunas

A Torre dos Sinos

Memórias do Padre Zé Observando atentamente os documentos históricos guardados no arquivo paroquial, reparei que na planta original da Igreja Matriz São José já constava

Colunas

Mais Excelente Nome

Por Humberto Xavier Rodrigues Ele, que é o resplendor da glória e a expressão exata do seu Ser, sustentando todas as coisas pela palavra do