Fé, esperança e prevenção: armas contra o câncer de mama

  1. Home
  2. /
  3. Notícias
  4. /
  5. Cotidiano
  6. /
  7. Fé, esperança e prevenção:...

Rolandense conta a sua história e fala sobre esperança e fé; por conta da pandemia, Sirlei ficou 2020 sem fazer o preventivo, como era de praxe

Sirlei é devota de Nossa Senhora das Graças

No mês da campanha do “Outubro Rosa”, em que as ações de prevenção ao câncer de mama em todo o Brasil tomam mais força, o JR conta a história de Sirlei Aparecida Ferreira Cardoso, 62 anos. Casada com o caminhoneiro Vilson e mãe de três filhos: Carlos Eduardo (38), Maria Priscila (34) e a Maria Eloisa (28), Sirlei nasceu em Rio Bom (PR), morou em Pitangueiras e mora há 40 anos em Rolândia. “Tenho três nestas pelas quais sou apaixonada: Maria Júlia (5), Marina (4), e a Maria Eduarda (17), que é neta do coração (17)”, revelou Sirlei.

Após o diagnóstico da doença, Sirlei, encontra na família e na sua Fé em Nossa Senhora das Graças a força para superar esse problema, que modificou em pouco tempo toda a sua vida. “No mês de junho, eu fui fazer o preventivo que eu sempre fiz todos os anos. Menos no ano passado, pois, por conta da pandemia, não fiz o exame. Paguei uma consulta particular e comentei com a doutora que eu tinha uma dor no seio. Ela pediu uma mamografia e uma ultrassom e em seguido já foi diagnosticado”, relembra Sirlei.

Depois de detectar o nódulo na mama, a médica encaminhou Sirlei para o atendimento na Atenção Básica de Rolândia e, de lá, foi encaminhada para Londrina para receber atendimento do Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Paranapanema (CISMEPAR). “Depois de 15 dias realmente foi confirmado o câncer de mama e agora eu vou passar por uma cirurgia que eu vou fazer no dia 26 de outubro”, conta.

Nesse momento, Sirlei encara a realidade da doença com tranquilidade, apoio, além de muita fé e esperança, de que tudo dará certo nesse processo cirúrgico, bem como no pós-cirúrgico, quando ela de fato, dará início a um tratamento. “Eu tenho muita fé em Nossa Senhora das Graças” diz a rolandense que tem uma imagem da santa em seu quintal, da qual ela cuida com muito amor.

Autocuidado
Sirlei ainda conta que, se não fosse o exame de preventivo, não saberia da existência do nódulo, e destaca a importância de se prevenir e se cuidar. “Se eu não tivesse feito o exame de preventivo provavelmente não ia saber desse nódulo e a minha situação com certeza seria pior. Por isso, temos que nos prevenir. Tem muitas mulheres que ainda não fazem o preventivo, mas é algo muito importante. Eu sempre fiz os exames, em todos os anos”, relata.

Nesse momento, a família de Sirlei tem sido um forte alicerce de superação desse período tão delicado que ela e todos ao seu redor enfrentam, e que tantas outras mulheres também vivem. “Vamos superar, em nome de Jesus e Nossa Senhora das Graças, tudo isso vai passar”, afirmou.
Sirlei contou, ainda, que muita gente criticou o fato de ela ter dado uma entrevista na Live feita pela prefeitura de

Rolândia no dia 02 de outubro. “Muitos falaram que eu me expus na Live. Na verdade, eu fui para chamar a atenção das mulheres para esse problema, para que elas se cuidem e se previnam contra o câncer de mama e também contra o câncer de colo de útero”, ressaltou.

A imagem de Nossa Senhora das Graças está no quintal de Sirlei há quase 10 anos e ela planeja fazer uma gruta para abrigar a santa, que está dentro de um vidro. “Vou atrás de fazer essa gruta ainda neste ano”, prometeu Sirlei.

Como se prevenir
A prevenção do câncer de mama não é totalmente possível em função da multiplicidade de fatores relacionados ao surgimento da doença e ao fato de vários deles não serem modificáveis. De modo geral, a prevenção se baseia no controle das situações de risco e no estímulo aos fatores protetores, especificamente aqueles considerados modificáveis.

Os principais fatores de risco comportamentais relacionados ao desenvolvimento do câncer de mama são: excesso de peso corporal, falta de atividade física e consumo de bebidas alcoólicas.

Estima-se que por meio da alimentação, nutrição e atividade física é possível reduzir em até 28% o risco de a mulher desenvolver câncer de mama. Controlar o peso corporal e evitar a obesidade, por meio da alimentação saudável e da prática regular de exercícios físicos, e evitar o consumo de bebidas alcoólicas são recomendações básicas para prevenir o câncer de mama. A amamentação também é considerada um fator protetor.

O diagnóstico precoce aumenta muito as chances de cura e sucesso no tratamento. Por isso a importância de a própria mulher fazer o autoexame e estar atenta a qualquer mudança nas mamas, procurando um médico imediatamente caso note algo diferente.

O exame de mamografia também é importante para o diagnóstico na fase inicial da doença. Mulheres a partir dos 40 anos devem fazê-la anualmente. No entanto, não se deve substituir o autoexame.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

VEJA TAMBÉM:

Religião

Jesus disse ‘sim’

Por Monsenhor José Ágius Nosso catecismo básico diz que Jesus morreu para nos salvar. Difícil é explicar porque ele teve que morrer. Dizer que é