Jaguapitã já fez a castração de mais de 200 pets

  1. Home
  2. /
  3. Notícias
  4. /
  5. Cotidiano
  6. /
  7. Jaguapitã já fez a...

Castrações foram possíveis por meio de credenciamento de duas clínicas veterinárias, uma de Jaguapitã e outra da cidade de Maringá

A secretária Fernanda Giorgetti

A prefeitura de Jaguapitã, por meio da Secretaria de Meio Ambiente, já castrou mais de 200 pets, entre cães e gatos, neste ano no município. A ação, feito com recurso próprio, é possível através do credenciamento de duas clínicas veterinárias, uma de Maringá e outra de Jaguapitã.


“Essa ação é uma parceria executada pela Secretaria de Meio Ambiente por meios administrativos: é um trabalho feito por nós aqui da prefeitura e através do credenciamento dos veterinários.”, explica Fernanda Giorgetti, secretária municipal de Meio Ambiente.


Neste momento a ação conta com duas clínicas veterinárias credenciadas, uma da cidade de Maringá chamada Murta – Voltei a latir e a Bruna Lorrencetti Clínica Veterinária, de Jaguapitã. Até o momento 80 gatos receberam o atendimento de castração, e cerca de 130 cães, que são a maioria quando o assunto é abandono, também já foram castrados. “Temos uma média de 13 castrações por semana”, afirma Fernanda.


“A princípio estamos castrando os animais de rua e os animais que estão em lar temporário. Esse lar temporário é basicamente formado por colaboradores que abraçam a causa da ONG JUPA (Jaguapitã Unida Pelos Animais), e que ficam com esses animais abandonados até que eles encontrem um lar definitivo, ou até mesmo aguardando as castrações para que eles mesmo possam continuar com os pets”, ressaltou a secretária.


Após a castração, aqueles animais que estão acolhidos em lares temporários retornam para esses locais, porém, os que foram encontrados na rua, acabam também sendo encaminhados novamente para o mesmo lugar, pois não há espaço para abrigar. “Costumamos encaminhar para a cidade de Maringá aqueles animais que não tem um tutor, pois eles ficam cerca de uma semana lá e já voltam recuperados. Aqueles que possuem lar temporário, normalmente atendemos aqui, pois eles ficam somente três dias na clínica”, pontuou a secretária Fernanda.


A secretária afirmou que várias dessas pessoas já adotaram os bichinhos após a castração e que esse é um trabalho de grande importância para o município, e para a JUPA. “O fato dessas pessoas continuarem com esses animais, por pegarem amor nesse lar temporário, é muito importante. Como hoje a gente não tem um local, ou um abrigo para deixar todos esses pets, pedimos a colaboração dessas pessoas para que fiquem e cuidem de os bichinhos até conseguirmos um local adequado”, pontuou.


Vale ressaltar que as ações ocorrem por meio de recurso próprios da prefeitura municipal de Jaguapitã. Não há uma quantidade definido ainda de quantos animais em situação de rua existem na cidade, que afeta diretamente a questão de saúde público do município, mas existe uma estimativa de aproximadamente 800 bichos.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

VEJA TAMBÉM:

Cotidiano

Sobre ótimas ideias

Editorial – edição: 878 – sexta-feira, 01/07/22 Olá, querido leitor e cara leitora do JR Nesta semana, além da matéria da entrega e liberação da