Mulher de Itupeva já encontrou seus familiares

  1. Home
  2. /
  3. Notícias
  4. /
  5. Cotidiano
  6. /
  7. Mulher de Itupeva já...

Juliana Moraes dos Santos (40) estava há 15 anos sem contato com a família; irmãs em Rolândia viram a matéria do JR

A cozinheira Juliana Moraes dos Santos (40) – que mora em Itupeva (SP) há 22 anos e estava há 15 sem contato com seus familiares em Rolândia – conseguiu conversar com suas irmãs e irmãos. Muito feliz, ela entrou em contato com o JR na tarde da segunda-feira, 31 de janeiro, e contou que suas irmãs haviam visto a matéria dela feito pelo jornal e haviam ligado diretamente para ela em Itupeva.

“Já falei com a Simone, com a Silvana, com a Marta, com o Nego, e com a Cristiane”, revelou Juliana. Nego é o apelido de seu irmão Donizeti, cujo nome ela ainda não sabia. “A má notícia foi saber da morte de minha mãe, 11 anos atrás”, lamentou-se a cozinheira. Juliana também falou com uma sobrinha.

12 irmãos e irmãs

A cozinheira também revelou que seu irmão Nego iria montar um grupo dos irmãos no WhatsApp para todos poderem se falar. O grupo já tem oito pessoas e pode chegar a 12 daqui a pouco tempo – isso só falando em irmãos e irmãs. Juliana explicou o porquê desse número.

Wilson Silva dos Santos casou com Vicentina Gomes de Moraes e teve quatro filhas: Juliana, Angélica, Cristiane e Marta. Depois da separação, a mãe de Juliana teve outro marido e mais quatro filhos: Simone, Silvana, Vinícius e Donizeti (Nego). Juliana também tem mais outros quatro irmãos por parte de pai, já que Wilson casou-se de novo em Campo Mourão. “Estamos tentando achar o contato deles, mas sei que são dois homens, Wilson Junior e Wilson Isaac, e duas mulheres, Ingrid e Wilderneia”, revelou.

Encontro

O JR também falou com um dos irmãos de Juliana, o Donizeti Nego, que afirmou que a família já tinha tentado entrar em contato com ela. “Tentamos procurá-la e tivemos até informação de que ela teria morrido”, relembra Donizeti. “Graças a Deus, estamos felizes que pudemos encontrá-la. Já perdemos a nossa mãe e ela não sabia. Ficou bastante triste. Esperar um pouco as coisas melhorarem para podermos nos encontrar”, ressaltou Donizeti. “Queremos fazer esse encontro”, concluiu.

A matéria

O JR foi procurado por Juliana, que afirmou que havia tentado outras mídias de Rolândia para contar sua história e não teve sucesso. Com diabetes e há 15 anos sem ver nenhum familiar, ela deu a entrevista por áudio, já que não sabe ler e nem escrever. O JR mandou a matéria para ela e Juliana “achou que ficou bonita”, mas esperava que desse resultado. Deu. Ainda bem.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

VEJA TAMBÉM: