Sobre decretos, chuvas e (ainda) Kelvin

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
  1. Home
  2. /
  3. Notícias
  4. /
  5. Cotidiano
  6. /
  7. Sobre decretos, chuvas e...

Editorial – Edição: 840 – sexta-feira, 10/09/21

Olá, querido leitor e cara leitora do JR

Bem no início desta semana, procuramos o prefeito Ailton Maistro para falar sobre o decreto “liberado e liberativo” que está em vigor em Rolândia. O prefeito nos recebeu e deu uma entrevista ao vivo e falou de suas razões para ter assinado e publicado um decreto mais flexível, isso apesar dos números de contaminações terem aumentado no município. “Restringimos aqui e vão em outras cidades buscar covid e trazer para cá”, reclamou Maistro. O prefeito colocou a responsabilidade sobre os ombros das pessoas, que devem escolher o que fazer, mas pediu “pelo amor de Deus” para as pessoas usarem máscaras, álcool em gel e manter o distanciamento. Maistro apostou na consciência das pessoas. Será que fez o certo?

A chuva de quarta-feira trouxe granizo, aquelas pedras de gelo, que muitos chamam de ‘granito’ (rs). Piadas à parte, em cidades da região ela veio com mais força e com mais ventos. Jaguapitã foi a principal atingida em nossa microrregião, assim como Guaraci. Em Jaguapitã, mais de 50 casas tiveram problemas com relação a sua cobertura, duas delas tiveram um destelhamento completo. Também em Jaguapitã, mais de 20 árvores foram derrubadas pela força do vento da quarta-feira.

Em Rolândia, felizmente, não houve maiores danos – apenas algumas pessoas que ligaram para os Bombeiros porque tiveram problemas com a cobertura de suas casas. “Todas com telhas de fibro-cimento de fina espessura”, garantiu Gerson Carlos dos Santos, chefe da Defesa Civil.

Gerson também falou de uma campanha direcionadas às pessoas que têm essa telha de 2 milímetros para ficarem atentas, principalmente com as chuvas e ventos fortes. O ideal seria talvez um projeto social para trocar por telhas mais espessas ou de barro. Algo para a Assistência pensar, talvez.

E o Kelvin? O vídeo em que mostra o rapaz salvando o menino Lucas (5) de um atropelamento correu o mundo e o rolandense virou um herói mesmo. Nesta semana, na página 09 desta edição, tem mais uma matéria sobre o coletor de resíduos que trabalha na Sanetran. No começo da semana, na sessão de segunda-feira da Câmara de Vereadores de Rolândia, Kelvin recebeu uma Moção de Congratulações da Casa, oferecida pelo vereador Guilherme Spanguemberg. Na semana passada, recebeu uma homenagem do prefeito Ailton Maistro.

Nesta semana, recebeu mais um presente: os supermercados Locatelli deu para ele e para a sua família um ano de uma compra mensal e 1 ano ganhando uma caixa de leite com 12 unidades. Parece pouco, mas vai ajudar, e muito, ao herói rolandense em suas compras mensais.

Parabéns ao Locatelli pelo gesto e parabéns ao Kelvin pela ação, ou é ao contrário? Parabéns ao Locatelli pela ação e parabéns ao Kelvin pelo gesto.
Assim melhorou.

Só vou terminar falando de português um pouquinho. Ali atrás, no terceiro parágrafo, escrevi “não houve maiores danos”. O verbo haver com o sentido de existir é invariável. Não tem plural. Nunca. Ouvir “não houveram danos” deve fazer o Rui Barbosa se mexer no túmulo, tenho certeza.

Boas leituras

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

VEJA TAMBÉM:

Cotidiano

Acidente fatal na BR-369, em Rolândia

Choque entre automóvel e motocicleta causou morte de mulher que dirigia moto; garupa também ficou bastante ferida O choque entre um automóvel e uma motocicleta