Cambé: atividades culturais e artísticas no 1º semestre de 2022

  1. Home
  2. /
  3. Notícias
  4. /
  5. Cultura
  6. /
  7. Cambé: atividades culturais e...

Atividades culturais e artísticas serão oferecidas por diversos fazedores de cultura de Cambé em forma de contrapartida de auxílio recebido

Cursos de teatro estão entre as atividades que serão oferecidas no ano que vem

O início de 2022 promete ser repleto de atividades culturais e artísticas em Cambé, principalmente por conta da retomada gradual que já vem sendo feita em 2021. Graças à Lei Aldir Blanc, que foi criada em 2020 para auxiliar o setor cultural durante a pandemia, diversos fazedores de Cultura vão ofertar – em forma de uma contrapartida – atividades culturais e artísticas, como shows, cursos de teatro, de dança, de muralismo, de cerâmica e de balé.

Clara Brenes, instrutora de Arte da Secretaria de Cultura, comemora essa retomada que a cidade está programando. “A Cultura é algo diferente, é algo mágico, lúdico, por isso é importante que o setor consiga se reerguer e oferte essas atividades”, espera Brenes.

As inscrições para as atividades vão poder ser feitas através do link https://linktr.ee/cambesecretariadecultura e todas as informações estão disponíveis no Instagram da Secretaria de Cultura (@secretariacultura.cambe/).

Brenes explica que essa gama de atividades já era algo que a Secretaria de Cultura gostaria de ofertar e os editais da Lei Aldir Blanc colocaram isso em prática. Com o intuito de fornecer um repasse em dinheiro para auxiliar a custear as despesas que esse setor tinha, Clara conta que por foi possível ajudar desde os fazedores de cultura mais estruturados até aqueles que trabalham com arte na própria casa. Em 2021, foram abertos três editais para o setor cultural: o primeiro para manutenção dos espaços culturais; o segundo foi uma premiação de vídeos autobiográficos; e o terceiro de propostas de atividades culturais. No total, foram investidos mais de R$ 500 mil para cerca de 100 fazedores de Cultura da cidade em 2021, com valores que vão de R$ 3 mil a até R$ 15 mil, totalizando mais de investidos.

“Os fazedores de Cultura inscritos em dois desses editais tiveram que ofertar uma contrapartida em forma de atividades culturais ou artísticas para a população”, explica Brenes. Segundo ela, a intenção foi beneficiar tanto os artistas quanto a população. Ela conta que, no primeiro semestre de 2022, nove artistas vão ofertar essas atividades, que vão desde as artes visuais até a dança e a música. “Para o segundo semestre, nós temos outros 20 fazedores de Cultura que ainda vão programar essas atividades, mas que também vão ser ofertadas gratuitamente à população”, pontua. Brenes conta que todas as ações foram definidas e organizadas entre a Secretaria de Cultura e os artistas.

A instrutora explica que neste ano já foram ofertadas atividades culturais e artísticas, como o balé e o teatro e a demanda foi maior que a esperada. “Nós tivemos um curso de música para crianças de quatro anos, o que foi algo novo para nós, mas que pode ser o ‘pontapé’ para que novos talentos surjam na nossa cidade”, ressalta. Segundo ela, o balé sempre teve uma procura grande e a expectativa é que novas turmas abram em 2022.

“Acredito que esses repasses financeiros para o setor cultural vão continuar, pois é essencial fomentar essa área. Muitos trabalhadores da Cultura ficaram parados ou até mesmo começaram a fazer outras coisas durante a pandemia e a nossa intenção é mostrar que estamos aqui por eles, que o Centro Cultural é deles e deve ser tomado por eles”, destaca. Segundo ela, a reintrodução do Conselho Municipal de Cultura neste ano também vai auxiliar na promoção e auxílio do setor cultural. “Ao passo que o setor cultural se reestrutura, toda a comunidade se beneficia. É essencial fornecer atividades culturais e artísticas para a população, principalmente para as crianças, que já vão crescer dentro da área e sabendo da importância que isso tem”, finaliza.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

VEJA TAMBÉM:

Cotidiano

Sobre as matérias desta edição

Editorial – edição: 873 – sexta-feira, 27/05/22 Olá, querido leitor e cara leitora do JR Neste editorial, abordaremos um pouco das matérias que estão nesta

Religião

Jesus disse ‘sim’

Por Monsenhor José Ágius Nosso catecismo básico diz que Jesus morreu para nos salvar. Difícil é explicar porque ele teve que morrer. Dizer que é