Jaguapitã: ONG e município castram animais de rua

  1. Home
  2. /
  3. Notícias
  4. /
  5. Meio Ambiente
  6. /
  7. Jaguapitã: ONG e município...

Ação ocorre por meio de uma parceria da ONG JUPA, Prefeitura Municipal e Secretaria de Meio Ambiente; mais de 40 pets já foram castrados

Ricardo, da Murta Clínica Veterinária, busca e traz os pets e a veterinária credenciada Bruna Lourencetti

Muito se fala sobre a questão de castrações de animais, em especial gatos e cachorros, nos centros urbanos, e como isso está totalmente ligado a políticas de saúde pública. Sabendo disso, a ONG JUPA (Jaguapitã Unida Pelos Animais), em parceria com a Prefeitura de Jaguapitã e a Secretaria de Meio Ambiente, promove uma ação de castração de animais que estão em situação de abandono.

“Essa ação é uma parceria executada pela Secretaria de Meio Ambiente por meios administrativos: é um trabalho feito por nós aqui da prefeitura e através do credenciamento dos veterinários”, explica Fernanda Giorgetti, secretária municipal de Meio Ambiente.

A secretária informou que as castrações tiveram início no final do ano passado, com uma profissional do setor de veterinária de Jaguapitã. “Com ela, já fizemos 20 castrações de animais. Neste ano, iniciamos uma parceria com uma clínica de Maringá, onde fizemos 10 castrações. Nesta semana encaminhamos mais 11 animais, então teremos um total de 41 animais castrados pelo município por meio dessa parceria com a JUPA”, ressaltou Fernanda. Esses animais já vêm com o chip de identificação de Maringá.

“A princípio estamos castrando os animais de rua e os animais que estão em lar temporário. Esse lar temporário é basicamente formado por colaboradores que abraçam a causa da JUPA, e que ficam com esses animais abandonados, até que eles encontrem um lar definitivo, ou até mesmo aguardando as castrações para que eles mesmo possam continuar com os pets”, ressaltou a secretária.

Fernanda afirmou que várias dessas pessoas já adotaram os bichinhos após a castração e que esse é um trabalho de grande importância para o município, e para a JUPA. “O fato dessas pessoas continuarem com esses animais, por pegarem amor nesse lar temporário, é muito importante. Como hoje a gente não tem um local, ou um abrigo para deixar todos esses pets, pedimos a colaboração dessas pessoas para que fiquem e cuidem dos bichinhos até conseguirmos um local adequado”, pontuou.

Após o período de castrações dos animais em condição de abandono, a secretária afirmou que também será feito o cadastro para atender aqueles animais que têm tutores. “Teremos mais castrações em uma parceria com o Governo do Estado. Assim que tivermos a confirmação, vamos divulgar mais detalhes”, ressaltou. Atualmente, o processo de castração dos animais de rua não ocorre por meio de cadastro e sim de uma observação da própria JUPA, junto com os órgãos municipais.

Parar conhecer melhor a JUPA e ver o trabalho desenvolvido diariamente por ela, basta acessar o Instagram da ONG (@ongjupa).

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

VEJA TAMBÉM:

Cotidiano

Rolândia pode ficar sem água neste domingo

Manutenção pode comprometer abastecimento no município se consumo não for racional A Sanepar precisou programar para este domingo (22) uma manutenção em equipamentos do sistema