ONGs de Defesa Animal têm orientações sobre doações

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
  1. Home
  2. /
  3. Notícias Antigas
  4. /
  5. ONGs de Defesa Animal...
Organizado pela Coordenadoria de Educação Ambiental, o encontro contou com a presença da coordenadora do programa, Marta Gambini, que esclareceu dúvidas e falou das vantagens do Nota Paraná. “Como consumidor ou instituição é preciso ter convicção de que só existem vantagens em se cadastrar nesse programa que traz tantos benefícios para sociedade. Primeiramente, porque combate a sonegação de impostos e o único risco de se cadastrar é ter parte de seus impostos de volta e participar de sorteios onde e poder ganhar até R$ 200 mil”, disse Marta.
Neste mês, o volume de doações para instituições sem fins lucrativos deve dobrar em relação ao anterior, segundo Marta. As doações das notas pelos consumidores começaram em março e em junho, a primeira liberação de créditos totalizou R$ 173 mil.

O presidente do Amigo Animal, Marcelo Misga, disse que a Nota Paraná representa uma grande esperança para a instituição que atende cerca de 1.200 animais abandonados em Curitiba e Região Metropolitana. “Além de ser muito mais prático para as pessoas a doação das notas fiscais torna a relação entre a ONG e cidadão muito mais confiante porque agora não precisamos mais pedir dinheiro”, explicou Misga.

Em junho, o Amigo Animal, uma das primeiras instituições a se cadastrar no programa, recebeu R$ 300,00 em doações de notas. “Este mês acho que conseguiremos dobrar o valor pois o volume de notas doadas aumentou muito”, disse Misga.

Para a coordenadora do Nota Paraná, a inclusão das instituições no programa vai representar um aumento também na arrecadação fiscal. “O Estado ganha e a sociedade ganha. Ninguém perde nada com o Nota Paraná”, disse.

COMO DOAR – Há duas maneiras de doar notas para as instituições cadastradas no programa. Na primeira, o contribuinte solicita o documento fiscal, sem informar o CPF. Depois, digita no sistema do Nota Paraná o documento fiscal para a respectiva entidade beneficiária. 

Outra opção é o contribuinte não informar o CPF ao pedir a nota e, em seguida, depositar o documento em urnas disponibilizadas pelas entidades, que vão recolher os documentos e digitar no sistema. As entidades também podem ser beneficiadas com os créditos ao realizar compras e informar o próprio CNPJ no cupom fiscal.

As instituições de Proteção de Defesa Animal que quiserem fazer parte do Nota Paraná devem enviar requerimentos para a Secretaria do Meio Ambiente. Elas precisam ter certificado ou título de utilidade pública e ter registro de CNPJ como fundação privada, ou associação privada ou organização social.
idagencia

idagencia

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

VEJA TAMBÉM: