Apesar de LIRAa baixo, continuam as ações de combate ao Aedes

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
  1. Home
  2. /
  3. Notícias Antigas
  4. /
  5. Apesar de LIRAa baixo,...
As ações de combate ao Aedes aegypti continuam em Rolândia. No sábado (09) foi montado um ponto estratégico para coleta de pneus na região da Vila Oliveira, onde mais de 200 pneus de automóveis e bicicletas foram entregues pela população, para receberem o destino adequado. Aproximadamente 500 abordagens foram realizadas com a distribuição de material informativo. 

Na semana passada, entre segunda (11) e quarta-feira (13), foi realizada remoção técnica de criadouros do Aedes aegypti no conjunto Tomie Nagatani. Foram coletados 2.100 quilos de materiais que funcionariam como possíveis criadouros. Na sequência, foi realizada a aspersão de inseticida para abate dos vetores alados. Esta ação é de suma importância principalmente quando realizada nesta época do ano com temperaturas mais amenas.

A Secretaria Municipal de Saúde de Rolândia informou, por meio de boletim, que foram 102 casos de Dengue no ano de 2016. Também foram confirmados 1 caso de ZikaVírus e 1 caso de Febre Chikungunya, ambos importados, ou seja, a doença foi adquirida fora do município de Rolândia.

Entre os dias 04 e 07 de julho foi realizado o terceiro Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa) de 2016, onde através de análises estatísticas chegou-se a um índice predial de 0,1%, ou seja, um imóvel com presença do vetor para cada 1.000 imóveis vistoriados. Este índice enquadra o município como de baixo risco para a proliferação do Aedes aegypti, segundo o Ministério da Saúde, bem como para a transmissão das arboviroses vinculadas. Todavia, é de suma importância que a mobilização da sociedade e dos serviços públicos seja mantida.

PNEM
As atividades do Plano Nacional de Enfrentamento à Microcefalia (PNEM) e seus modos de operação serão mantidos até o final de 2016. As medidas estão sendo elencadas e divulgadas pela Sala Nacional de Enfrentamento à Microcefalia, que busca uma coordenação nacional para combate à doença.

São 1.656 casos confirmados de microcefalia no país e outras alterações no sistema nervoso relacionados à infecção congênita. Do total de casos confirmados, 255 foram relacionados ao vírus da Zika por meio de exame de laboratório. Outros 3.130 casos suspeitos ainda são investigados. A microcefalia atinge 588 municípios do Brasil e está presente em todos os Estados, além do Distrito Federal. Pernambuco é o Estado com maior número de confirmações (367), seguido da Bahia (265) e da Paraíba (148).

Combate ao Aedes 
Diversas atividades educativas de orientação vêm sendo realizadas no município, principalmente em escolas, empresas, indústrias e outros locais de grande aglomeração de pessoas, com palestras e teatros abordando o perigo das arboviroses (Dengue, Zika e Chikungunya) e medidas de controle do seu vetor, o Aedes aegypti. Palestras educacionais foram realizadas nas escolas Maria do Carmo Campos, Geralda Chaves, Costa e Silva, Garrastazu Médici, Monteiro Lobato, Vitório Franklin e São Fernando.
idagencia

idagencia

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

VEJA TAMBÉM: