Núcleo de Prevenção de Violência busca organizar encaminhamentos

  1. Home
  2. /
  3. Notícias Antigas
  4. /
  5. Núcleo de Prevenção de...
O Núcleo de Prevenção de Violência e Promoção da Saúde e Cultura da Paz de Rolândia, reinstaurado neste ano no município, realizou a sua reunião mensal na manhã de quarta-feira (14) no Sindicato Rural. De acordo com Rafael Dias, presidente da entidade, o Núcleo quer organizar melhor o fluxo das pessoas quando são vítimas da violência. Entenda-se aqui violência como qualquer natureza de agressão, física ou psicológica, estupro, interpessoal, auto violência, familiar.

“Queremos melhorar a questão do fluxo de encaminhamento das vítimas para elas saberem onde devem ir ou para onde devem ser levadas nessas situações”, explicou Dias. Normalmente, dependendo do horário, as pessoas vítimas de violência vão à delegacia e depois são encaminhadas ao Hospital São Rafael, independentemente da hora. “A ideia é termos fluxo para as Unidades Básicas de Saúde no horário de atendimento delas (até as 18 horas), depois desse horário encaminhar para o Pronto Atendimento e, se o PA estiver fechado, ir para o São Rafael”, ressaltou.

Esse assunto começou a ser tratado na última reunião do Núcleo, no dia 10 de agosto. O objetivo é tornar o fluxo mais funcional e eficiente e menos doloroso para as vítimas. Muitas pessoas de diferentes entidade e órgãos participam do Núcleo e saberão que atitudes tomar nessas situações. Na reunião desta semana, não havia representantes das polícias Civil e Militar, mas o resultado do encontro será repassados a eles, importantíssimos para o encaminhamento correto. A enfermeira Elisabete Soares de Athayde representou a 17ª Regional da Saúde no Sindicato Rural.
De acordo com Rafael Dias, participam do Núcleo membros das secretarias de Saúde, Educação, Assistência Social, dos conselhos municipais de Saúde, de Assistência, Anti-drogas, dos Diretos da Criança e do Adolescente, dos Portadores de Deficiência, da Diretoria da Mulher e da Família, Caps, Creas, Cervin, Vila Trindade, hospital São Rafael, Polícia Militar e Civil.

Casos
O presidente do Núcleo de Prevenção de Violência e Promoção da Saúde e Cultura da Paz de Rolândia revelou que o número de ocorrências registrada é apenas a ponta do iceberg. “Em 2016, tivemos 35 ocorrências registradas de violência – 5 em homens e 31 em mulheres. Sabemos que o número é muito maior e um fluxo de encaminhamento mais eficiente vai trazer um número um pouco mais perto do real”, reconheceu.

O Núcleo de Prevenção de Violência e Promoção da Saúde e Cultura da Paz de Rolândia estava parado desde 2013 e foi retomado em 2016. Desde então, as reuniões voltaram a ser mensais e com uma participação popular maior.
idagencia

idagencia

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

VEJA TAMBÉM: