Editorial – Edição: 604

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
  1. Home
  2. /
  3. Notícias Antigas
  4. /
  5. Editorial – Edição: 604
Apesar das várias notícias importantes veiculadas na edição desta semana, preferimos não escrever um editorial, mas, ainda assim, vamos falar sem palavras. 
Apenas resolvemos publicar uma matéria sobre o pedido de desculpas de um pai por não saber escrever e a resposta da filha. 
São coisas que nos fazem pensar na tal da meritocracia, nas oportunidades e na igualdade. Leia a matéria e tentem não chorar.

BOA LEITURA E, AGORA, BOM VÍDEO, E ATÉ A SEMANA QUE VEM

A universitária Micarla Lins, que mora no Rio de Janeiro, publicou uma conversa que teve com o pai, Pedro Monics, por meio de um chat e causou comoção e reflexão na internet. No trecho em destaque, o pai pede desculpas à filha por não saber escrever e diz que a ama verdadeiramente: “Nuca eu vo juga voce pro que eu te amo vedaderaneti voce sadi. Decupa pro nao sabe esr”. Ao que ela responde: “Eu amo você. E você não precisa saber escrever pra eu te amar”.

Na postagem, Micarla, que é estudante do curso de Serviço Social na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), explica que lembrou-se da conversa emocionante que teve com o pai após ouvir alguém dizer que “saber escrever não é inteligência, é privilégio”. 

“Acho que nunca chorei tanto na vida quando recebi um pedido de desculpas dele por não saber escrever”, desabafou ela. “Meu pai não teve uma vida nada fácil, hoje em dia ele só sabe ler, mas não sabe escrever quase nada e isso me faz lembrar de todas as vezes que ouço piadas por coisas que estão escritas de maneira “errada”. Quantas vezes você já dispôs a ler pra alguém? Quantas vezes você já se ofereceu pra ensinar alguém a escrever? Então ao invés de acharem graça toda vez que virem algo escrito errado se lembrem de um pai pedindo perdão a filha por não conseguir falar com ela pois não sabe escrever. Que eu consiga usar do meu privilégio pro meu pai não precisar passar por esse tipo de piada. To cansada. Já tá na hora de vocês aceitarem que nem todo mundo tem as mesmas oportunidades”, completou.

A estudante explicou que o pai nunca tinha enviado nenhuma mensagem de texto para ela. Ela ainda disse que o pai chegou a sentir vergonha diante de toda a repercussão da postagem, mas que, depois, viu que estava recebendo muitas mensagens carinhosas e ficou emocionado.

A publicação foi feita no dia 20 e alcançou mais de 19 mil compartilhamentos no mesmo dia, além de centenas de comentários em apoio às ideias da jovem e elogios ao pai dela. 

“Chorei! Que coisa mais linda de viver! Parabéns e obrigada por compartilhar uma coisa tão simples e tão linda”, escreveu um internauta. “Parabéns moça pela atitude de expôr e falar sobre a realidade muito vivida por muuuitos”, acrescentou outra.
Josiane Rodrigues
Editora
José Eduardo 
Editor

idagencia

idagencia

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

VEJA TAMBÉM: