Debate JR: Sartori pergunta e Francisconi responde

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
  1. Home
  2. /
  3. Notícias Antigas
  4. /
  5. Debate JR: Sartori pergunta...

O JR convidou os candidatos a prefeito de Rolândia a participar de um debate impresso, com perguntas, respostas e réplicas. Foram 9 perguntas em diversas áreas feitas de candidato para candidato. Nessa segunda parte, o candidato Renato Sartori (PSL), faz suas perguntas ao candidato Luiz Francisconi (PSDB), que responde. Logo depois, há a réplica de Sartori sobre a resposta de Francisconi.

SAÚDE
Renato Sartori
– Em sua primeira campanha, o senhor destacou o fato de ser médico, como foco de um governo que resolveria os problemas da saúde. Hoje, os problemas continuam os mesmos, há falta de medicamentos nos postos, atrasos em exames, entre outros. Não seria uma incoerência deixar de investir no São Rafael e investir em mais hospitais?


Luiz Francisconi – Inauguramos o Posto de Saúde do Tomie Nagatani, que estava parado. Reformamos todos os Postos de Saúde, o PA da Vila Oliveira passará a atender até a meia-noite. Adquirimos equipamentos básicos. Como exames preventivos, cobertores, biombos, mesas, etc. Além de um eletrocardiograma, um desfibrilador e uma geladeira para armazenamento de vacinas para todos os Postos, sendo a única cidade da 17ª Regional que possui isso. Zeramos a fila de cirurgias Ortopédicas e Ginecológicas, do São Rafael. Baixamos o Índice da dengue para, 0,9, o mais baixo da região. Adquirimos dois veículos novos, para São Martinho e Bartira. O Posto do Santiago será o primeiro a utilizar prontuário eletrônico e logo o cartão cidadão. Ativamos o Centro Odontológico e construiremos Postos no Centro, Jardim Planalto e um Centro de Especialidades.
Confirmamos a vinda de dois grandes Hospitais. Assim o São Rafael fará atendimentos materno-infantil. O título de Filantropia já estamos conseguindo.


Réplica de Sartori: Inaugurar obras de governos anteriores é fácil. Já a sua reforma foi ineficiente. O posto central, dá pena. No posto do Santiago há denúncias sobre infiltrações e pacientes esperando na chuva. A construção do posto do Jardim Itália não foi concluída. O São Rafael continua com a intervenção ética, está até com a conta de água atrasada. É notável que até hoje vocês não conseguiram solucionar problemas. Sobre suas propostas, seria mais viável concluir o que já foi iniciado, fazer a manutenção correta, do que prometer coisas novas.

Sartori – Eu e a população gostaríamos de saber qual o nome do grupo que virá implantar o hospital? O nome das entidades envolvidas?

Francisconi – Aprendi desde cedo que um homem deve honrar sua palavra e seus compromissos. Assim também o faço na vida política. Concorremos com várias cidades da região que estavam negociando para trazer esses dois grandes Hospitais, que farão com que Rolândia ser torne referência nacional na Saúde e atenderá 100%. Uma verdadeira revolução!
Pelo volta da credibilidade e confiança na administração pública após assumirmos e por eu ser Médico, fomos os escolhidos para a construção desses Hospitais. Na negociação, na qual o Município apenas cederá o terreno, os empresários solicitaram o sigilo de seus nomes até o final das Eleições para não serem expostos em toda a região! Honramos o pedido e não divulgaremos os nomes até sermos autorizados pelos empresários, evitando qualquer quebra de contrato e acabando com a possibilidade de Rolândia perder esses dois grandes investimentos. Acredito que seja qual grupo implantar os Hospitais, quem ganha é somente Rolândia! Peço paciência e compreensão à população!

Réplica de Sartori: Honrar a palavra é dever de todo homem, porém mais do que honrá-la, antes devemos cumprir promessas antigas. O senhor defende uma política ética e transparente, então apresente os documentos, pois seu maior interessado deve ser a população e não os empresários. Infelizmente não é esse tipo de política que Rolândia merece, isso é jogada eleitoreira, não gere na população falsas expectativas.

EDUCAÇÃO
Sartori – Desde o ano passado, o senhor apenas entregou obras que já estavam iniciadas. Hoje, algumas obras do CMEIS estão paradas, como o do Conjunto Perazolo. Também foram cortados alguns meses de repasses para as creches filantrópicas. Como o senhor pretende resolver essa questão?

Francisconi – Inauguramos obras paradas há mais de um ano porque tivemos organização, planejamento e competência para entregá-las à população. O CMEI do Perazolo foi iniciado a sua construção sem um contrato/convênio com o Governo Federal, erro da administração anterior que estamos e vamos resolver, o que ocasionou a paralisação da obra. Mas em pouco tempo será retomada a construção e inaugurado esse CMEI para atender essa importante região que está sofrendo com o que aconteceu e será realizado da maneira correta, transparente e como deve ser! Construiremos dois novos CMEIs no JD Planalto e no Jd Ouro Verde, e duas novas Escolas Municipais no Jd. Perazolo e no Jd. Ouro Verde, além da aquisição de brinquedos e materiais, a contratação e capacitação de profissionais da educação e a intensificação das ações interdisciplinares para os alunos. Essas ações fizeram nesse curto período com que Rolândia elevasse consideravelmente a nota do IDEB para 6.4, que é melhor que a nota do Paraná e muito superior à média do Brasil.

Réplica de Sartori: Infelizmente, em nove meses o senhor não conseguiu resolver a construção de um CMEI que já estava iniciado, nem enviaram a licitação, então sua administração não é tão competente e organizada como descreve. É inviável prometer ainda mais CMEIS e escolas. Sobre as demais questões, essas não são méritos seus, mas dos servidores e da rede municipal, não da sua gestão.

ASFALTO
Sartori – A área de infraestrutura ficou parada há muitos meses, a desculpa sempre foi em razão das chuvas e, aliás, não foi aproveitado o estado de calamidade. Então só agora, observamos alguma operação tapa buraco, alguns recapes. Isso não são ações eleitoreiras, o velho jeito de se fazer política?

Francisconi – Entregamos nossos projetos da Calamidade dentro do prazo exigido. Recebemos visitas de vários Deputados Federais nos oferecendo ajuda, menos do senhor e do seu Deputado.
Infelizmente, o senhor está desinformado quanto ao início da operação tapa buracos, lama asfáltica e recapes. Deve ser porque enquanto Rolândia passava pela maior catástrofe de sua história o senhor estava ausente.
Iniciamos a operação tapa buracos em março, a qual está acontecendo até os dias de hoje e já iniciamos a aplicação da lama asfáltica e recapes em diversas ruas da cidade! Dentro de pouco tempo conseguiremos dar as mínimas condições de tráfego para nossa cidade, que ficou nessa situação pelo completo descaso da equipe do prefeito cassado, que hoje te apoia tentando voltar ao poder.

Réplica de Sartori: A responsabilidade era exclusivamente do senhor e de sua administração sobre encontrar soluções para o que aconteceu no início do ano. Sobre minha postura, o deputado para o qual eu trabalhava enviou recursos de 500 mil em 2015 antes de tragédia, mas, infelizmente, por incapacidade da sua gestão, o recurso foi perdido. Também foi enviado 300 mil para a piscina no CCI, também perdidos, além de 500 mil para saúde. Os apoiadores fazem parte da minha legenda, mas não da minha campanha. Eu serei o prefeito, não serei comandado por terceiros.

MEIO AMBIENTE
Sartori – Hoje temos problemas desde descarte de objetos e móveis a lixos em locais impróprios. Isso afeta a qualidade de vida da nossa população. Quais são seus projetos para solucionar os problemas dessa área?

Francisconi – Além do Conselho Municipal do Meio Ambiente, temos a participação de pessoas que trabalham pela melhoria da qualidade de vida em nossa cidade.
Muitos perguntam minha opinião sobre a instalação de alguma indústria poluidora. Minha resposta como médico, como cidadão e como prefeito é que enquanto estiver à frente do Executivo não vamos permitir a instalação de qualquer empresa que apresente risco para nossa população. Este é o meu compromisso!
Em quatro anos vamos executar um amplo programa ambiental com a ampliação da coleta seletiva, implantação de pontos de entrega voluntária de reciclado (ECOPONTOS) e de descarte para objetos e móveis.
Além da implantação de ações de educação ambiental, como o descarte correto dos resíduos da construção civil; Execução do Plano Municipal de Arborização Urbana; Execução do Plano Municipal de Saneamento Básico; Execução do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos; Execução do Plano Municipal de Área Degrada e Implantação do Sistema Municipal de Licenciamento Ambiental.

Réplica de Sartori: O senhor já está há nove meses no cargo, esses projetos que o senhor lista já deveriam ter saído do papel, mas nenhum deles sequer foi iniciado. Isso mostra sua falta de iniciativa e comprometimento. Sobre indústrias poluidoras, em minhas respostas anteriores já ressaltei que nunca aceitei e não vou aceitar.

TURISMO
Sartori – Rolândia é uma cidade que tem vocação turística, mas precisa de mais investimento. Em qual área do turismo você pretende focar: turismo rural, festas, eventos ou de esporte e por quê?

Francisconi – Vamos incentivar o Turismo Rural. Não é de hoje que os nossos campos são reconhecidos pelo seu potencial histórico de atração turística. Temos que deixar de ser apenas uma promessa para realmente tornar esse sonho realidade. Mas essa não é uma tarefa apenas do Conselho, da Prefeitura ou dos voluntários, mas sim de toda comunidade. É um projeto coletivo que precisa ser apoiado por todos. Quanto às queimadas que tanto mal fazem para a saúde das pessoas e ao meio ambiente, o nosso total repudio e que seja aplicado o rigor da lei. Não podemos mais permitir esse tipo de abuso continue acontecendo. Aproveito para agradecer a todos pelo apoio e incentivo. Vamos juntos continuar trabalhando por uma Rolândia melhor!

Réplica de Sartori: Pelo que vejo o senhor está perdido, no final respondeu sobre queimadas e meio ambiente que era a pergunta anterior. Isso nos dá a impressão que não teve o cuidado e atenção devida para responder. Sobre o turismo e seus projetos, o senhor responde como se ainda não tivesse no cargo de prefeito.

EMPREGO
Sartori
– O senhor sempre destacou que o município está em dificuldade, que diminuiu a arrecadação. Diante dessas dificuldades, como seu governo pretende criar um novo parque industrial e investir na qualificação da mão de obra?

Francisconi – Nunca se investe onde não se tem segurança jurídica e credibilidade! Infelizmente, Rolândia viveu um período onde todos os setores da cidade foram prejudicados.
Nesses poucos meses, estamos colocando Rolândia no caminho do desenvolvimento com a atração de novos investimentos. Em junho, foi encaminhado e aprovado pela Câmara Municipal um projeto de incentivo à industrialização, que revisou e modernizou o projeto em comparação com o plano anterior. O novo projeto oferece incentivos aos empresários que virem para Rolândia, assim como garante incentivos às empresas de Rolândia que querem ampliar suas atividades.
Já conquistamos dois grandes importantes investimentos no setor da saúde para Rolândia, os dois Hospitais Regionais. Atraímos várias indústrias que já estão se instalando em Rolândia e impedimos várias empresas a irem embora do município.
Essa é a prova de que a credibilidade à frente do Executivo promove o desenvolvimento. Possuímos vários Parques Industriais, portanto precisamos primeiro melhorar e preencher esses parques com novas fábricas! Nunca falamos em um novo Parque Industrial, creio que não se inteirou de nossos compromissos e realizações com o povo de Rolândia, antes de realizar tal pergunta. Quem fez e faz essa promessa é o senhor, um promessa um tanto descabida, diga-se de passagem.

Réplica de Sartori: Prefeito, uma informação, Rolândia caiu uma posição no ranking no ICMS do Estado. Várias empresas estão saindo da cidade por falta de incentivo da sua administração. Por isso, Rolândia tem altos índices de desemprego. Já aos empresários que procuram a prefeitura são indicados a adquirirem terrenos particulares, que, a propósito, é um empreendimento de um dos seus secretários, aquele que tirou férias assim que foi nomeado, o que levou o senhor a rede estadual de notícias como um prefeito sem comando.

ESPORTE
Sartori – A área de esportes de nossa cidade tem várias demandas, entre elas o estádio Erich Georg. Qual seu projeto para o estádio?

Francisconi – Nosso projeto não é somente para o Estádio Erich Georg e, como já divulgado, atraímos um novo time para a nossa cidade: o Junior Team. Trouxemos de volta importantes competições estaduais que há muitos anos não vinham para Rolândia, além de obras e reformas para o incentivo ao esporte, como:
Fase Municipal dos Jogos Escolares do Paraná;
Torneio 1º de Maio;
Copa Rolândia de Futebol Suíço;
Prova Pedestre Dia Internacional da Mulher;
Jogos da Juventude do Paraná – Parceria com a Secretaria de Estado;
Reforma do Piso do Ginásio Emilio Gomes;
Plantio de Grama no Campo do Conjunto São Fernando;
Reforma da Quadra do Conjunto Parigot de Souza;
Participação nos Jogos da Juventude do Paraná;
Participação nos Jogos Abertos do Paraná;
Participação do Futsal Feminino no Campeonato Paranaense;
Participação do Voleibol Feminino no Campeonato Paranaense.

Réplica de Sartori: Pelo jeito o senhor não está andando no município, o ginásio da Vila Oliveira está em péssima condições, inclusive servindo de abrigo de andarilhos e o Emilio Gomes sem condições de uso. O campo de futebol do Conjunto Pe. Angelo prometido pelo senhor foi colocado apenas meia parte da grama, nem traves tem, equipamentos esportivos estão completamente sem manutenção. O senhor ainda vai trazer equipe de fora? Não vai prestigiar o que temos? Em meu governo, eles serão valorizados!

SEGURANÇA
Sartori – Na área de segurança, o senhor prometeu a Guarda Municipal. Para a implantação é necessária a municipalização do trânsito, formar agentes de trânsito, e só depois um projeto de lei para a Guarda Municipal. Se o senhor diz que a prefeitura está sem recursos, como o município vai arcar com esse investimento?

Francisconi – Segurança é uma agenda prioritária. Em praticamente todas as cidades brasileiras, a falta de segurança tira o sono dos moradores. A primeira medida será colocar em funcionamento as câmeras de segurança, o que já estamos providenciando.
Iremos adotar o projeto “Vizinho Solidário”, cujos resultados têm sido surpreendentes, principalmente com a diminuição nos casos de arrombamentos de moradias e assaltos nas ruas.
Mas o nosso programa mais ousado para o setor de Segurança é a Guarda Municipal. Tenho visitado cidades que já adotaram a Guarda Municipal, e os resultados têm sido surpreendentes, não só na melhora da Segurança como também no avanço proporcionado na gestão do trânsito. De imediato, a Guarda Municipal aumenta o efetivo policial e também o número de viaturas circulando. Isso já transmite uma sensação de segurança. Sabemos que Segurança Pública é uma responsabilidade do Estado, mas precisamos tomar medidas duras para combater a criminalidade. E é isso o que vamos fazer nos próximos quatro anos.

Réplica de Sartori: É lamentável ver que em nove meses de governo o senhor não conseguiu resolver nem a questão do funcionamento das câmeras de segurança. Quando se fala em Guarda Municipal, sabemos que há um aumento de despesas e investimentos, atualmente o senhor já cortou direito até de servidor. A Guarda Municipal é importante, mas não nesse momento! Chega de oferecer sensação de segurança e não a segurança de fato!
idagencia

idagencia

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

VEJA TAMBÉM: