Outubro Rosa – por Dr. Rhoger Czekalski

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
  1. Home
  2. /
  3. Notícias Antigas
  4. /
  5. Outubro Rosa – por...
O câncer de mama ainda é um dos principais causadores de morte em mulheres no Brasil e provavelmente o mais temido, devido à sua alta frequência e sobretudo pelos seus efeitos psicológicos, que afetam a percepção da sexualidade e da própria imagem pessoal.
A história familiar (principalmente de primeiro grau) e a idade são dois importantes fatores de risco para o câncer de mama.

O auto exame é importante, pois a mulher deve conhecer bem seu corpo para perceber se houver alguma mudança. Apesar de gerar uma grande ansiedade quando percebe-se a presença de nódulos no seio, que podem ser acompanhado ou não de dor mamária, alterações na pele que recobre a mama (abaulamentos ou retrações ou um aspecto semelhante a casca de uma laranja), nódulos palpáveis na axila, 80% dos casos encontrados são benignos, entretanto é fundamental a consulta com um ginecologista.

A mamografia é um exame extremamente importante que permite a detecção precoce do câncer, por ser capaz de mostrar lesões em fase inicial, muito pequenas (milímetros).

Segundo o Ministério da Saúde, é recomendada em mulheres com ausência de sintomas após os 50 anos de idade, de dois em dois anos, e anualmente a partir dos 35 para mulheres que estão inseridas no grupo de risco. Para os mastologistas, a mamografia deve ser feita anualmente a partir dos 40 anos (pois acima dessa idade o risco cresce rapidamente), como uma forma de obter diagnósticos precoces. Mulheres que apresentam alterações na mama também devem realizar a mamografia. O exame pode ser desconfortável, dependendo da sensibilidade individual, mas é tolerável e rápido.

Se sua mamografia não está clara em função das mamas densas, poderá ser feito um segundo exame de imagem, por exemplo, ultrassom ou ressonância magnética.

É importante o exame clinico anual pelo ginecologista, mesmo na ausência de mamografia, o médico poderá avaliar a paciente e recomendar ou não a realização de exame.

O diagnóstico em estágio inicial permite tratamento e cura de 95% dos casos, portanto a prevenção ainda é o melhor remédio.
Dr. Rhoger Felipe M. Czekalski (CRM-PR 24766) é ginecologista e obstetra: Cirurgia Vaginal, Uroginecologia e Colposcopia. Atende na CLINIMED – Saúde Integrada, na rua Estilac Leal 77 – Rolândia. O fone é o  (43) 3255-1717.
idagencia

idagencia

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

VEJA TAMBÉM: