História depredada aos poucos

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
  1. Home
  2. /
  3. Notícias Antigas
  4. /
  5. História depredada aos poucos

A paralisação nas obras de reconstrução do Hotel Rolândia, que é feita com recursos próprios da prefeitura, está deixando o local à mercê da ação de vândalos. A denúncia é feita por moradores de Rolândia e por membros dos conselhos municipais de Cultura e Turismo e da recém-criada Comissão Municipal de Preservação Histórica de Rolândia (CMPHR). O local está sendo usado por usuários de drogas e tábuas estão sendo furtadas.
A reportagem do JR foi até o local e registrou as condições da reconstrução: muito mato, janelas e tábuas pelo chão. Além disso, a área não está protegida, já que a cerca de tapumes está derrubada, facilitando ainda mais a vida dos vândalos.

O presidente do Conselho de Cultura, Paulo Sérgio Antônio, e a turismóloga Flávia Galbero fizeram uma visita técnica ao Hotel Rolândia e constataram indícios do vandalismo. Vários contatos com secretários já foram feitos com o objetivo de que esse patrimônio não se perca. A turismóloga enviou um ofício ao Executivo solicitando que a prefeitura tome providência quanto à prevenção de danos contra a obra.

A obra está parada desde janeiro de 2016 devido à escassez de recursos, gerada pela calamidade pública das chuvas de janeiro, que fez surgir novas demandas e prioridades. Além disso, houve queda do repasse do Fundo de Participação dos Município e diminuição de receita, a prefeitura tem outras prioridades. Até o momento foi pago R$ 61 mil de mão-de-obra à empresa Engenho, responsável por essa obra e também pela construção do novo museu.

Desabafo
O professor de história Renato Malacrida, do CMPHR, publicou um desabafo em sua rede social e pediu que as pessoas denunciem quem vende e quem compra a madeira do Hotel Rolândia. Leia:
“Este é, ao menos parte dele, o hotel Rolândia. No dia 29 de junho de 1934, teve início a primeira construção no perímetro urbano: o hotel Rolândia, de propriedade de Eugênio Larionoff.
Infelizmente, a prefeitura não possui recursos para terminar a obra, e esta demora vem causando a deterioração do local; pessoas vêm roubando a madeira deste monumento histórico e vendendo.
Se você receber oferta desta madeira, denuncie! Depredação de patrimônio histórico é crime!
Esperamos que as esferas estadual e federal intervenham, por mais que seja responsabilidade do município.
Sem falar que há projeto de transformar todo o pátio de manobras em um espaço cultural e de lazer.
Mais tarde postarei um vídeo.
Forte abraço
Juntos, somos mais fortes!”

idagencia

idagencia

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

VEJA TAMBÉM: