Buracos em asfalto com os dias contados?

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
  1. Home
  2. /
  3. Notícias Antigas
  4. /
  5. Buracos em asfalto com...
Muitos bairros de Rolândia sofrem há tempos com a precariedade do asfalto. Esse estado foi agravado pelo período chuvoso e também pela contenção de despesas do município. Buscando solucionar esse problema, a prefeitura solicitou a participação do Consórcio Público Intermunicipal de Inovação e Desenvolvimento do Estado do Paraná (Cindespar – antigo Cindast), que possibilita a compra e aplicação de recape asfáltico nos municípios participantes com preços menores. 

Nesta semana haveria uma reunião do consórcio em que seria avaliado o pedido de participação feito pela cidade de Rolândia. Sendo aceito, o município poderá adquirir cotas para a realização dos serviços – cada cota tem o valor de R$ 110 mil. Mensalmente, a prefeitura prevê um investimento de R$ 300 mil para a compra de duas cotas, que seriam executadas pelo Consórcio, e despesas com o serviço de tapa buracos executado pela Secretaria de Infraestrutura. As duas primeiras cotas deverão ser adquiridas tão logo seja possível.

No fim de janeiro, o prefeito Dr. Francisconi, o vice-prefeito Roberto Negrão, o secretário de Infraestrutura, Wanderley Massucci e o diretor de Infraestrutura, Luiz Antonio Soares, foram até Sertanópolis conhecer os detalhes e o funcionamento do Cindespar. Atualmente, ele é composto por 50 cidades paranaenses e com outras 50 em processo de adesão. O consórcio compra grande quantidade de micro pavimento, emulsão e outros componentes necessários para o recape asfáltico a um preço mais baixo e repassa aos municípios participantes mediante pagamento antecipado. 

De acordo com o diretor executivo do Cindespar, Arquimedes “Bega” Ziroldo, a adesão ao consórcio custa R$ 400 por cidade. Para ter o serviço realizado, o município faz o pagamento adiantado e depois recebe a benfeitoria. Caso o município não solicite nenhum serviço, não é cobrada mensalidade ou anuidade. Por ordem de pedido de execução dentro dos consorciados, o maquinário é deslocado da sede, Astorga, até o município em que será realizado o serviço. A contrapartida é dispor de combustível, hospedagem e refeições para os servidores que vem para executar a obra. 

O Cindespar possui caminhão usina de TST, CBUQ e de micro pavimento, para otimizar o recape asfáltico. Mesmo assim, antes do recape, é necessário que a prefeitura faça a operação tapa buraco para nivelar o solo.  Os presentes puderam ver como opera o caminhão de micro revestimento/pavimento RC1CE (emulsão a frio), que executa em média, um quarteirão a cada meia hora. Duas horas após o trabalho finalizado, o trânsito já é liberado plenamente. 
Uma lei municipal precisa ser aprovada pela Câmara de Vereadores para que a cidade faça parte do consórcio. 

Compareceram também seis vereadores de Rolândia para conhecer o Cindespar: Eugenio Serpeloni, Andrezinho da Farmácia, Rodrigão, Irineu de Paula, Edileine Griggio e João Gaúcho.
idagencia

idagencia

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

VEJA TAMBÉM: