As dificuldades do hospital São Rafael

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
  1. Home
  2. /
  3. Notícias Antigas
  4. /
  5. As dificuldades do hospital...
O hospital São Rafael está a mais de um ano sob nova gestão da intervenção municipal. Esse fator já representou melhorias, mas ainda existem dificuldades recorrentes para a administração. Nilson Giraldi, um dos gestores do hospital, afirmou que o São Rafael “ficou anos sem investimento, principalmente porque não tinha a tal da filantropia”. Esse título possibilita que o hospital receba emendas parlamentares, por exemplo. “Ainda não veio esse dinheiro, porque precisa um trâmite que vai ao longo do ano todo”, explicou Nilson. “Todo ano vai ter investimento, nós estamos executando aquilo que foi liberado no ano anterior e pedindo aquilo que nós vamos fazer no ano seguinte”, esclareceu o gestor. O corpo clínico do hospital é formado por 42 médicos e Nilson avalia que é preciso aumentar esse número.

De acordo com Nilson, a lavanderia é uma necessidade. “O governo do estado diz que vem esse ano”, disse. O valor das máquinas para está em torno de 170 mil reais. Outra demanda é o sistema de refrigeração da cozinha, que tem geladeiras comuns e antigas. Uma apropriada custa 30 mil reais. Também no ano, o hospital ficou sem energia por três vezes. “O gerador funcionou por um tempo e parou”, disse o gestor. Nilson relatou que a troca das peças já foi realizada.

Mesmo assim, o hospital precisa de manutenção preventiva. “Tem que ter manutenção dos ares-condicionados, do sistema de informática”, completou. “Não temos servidor para o prontuário eletrônico”, disse. Com doações de empresários, o hospital está mais perto de conseguir essa praticidade no atendimento. “Nós estamos fechando essa semana o contrato”, garantiu Nilson. Isso possibilita segurança nos históricos médicos e disponibilidade de wi-fi para acompanhantes. O gestor ainda ressaltou a necessidade de adquirir novos materiais para otimizar o funcionamento do centro cirúrgico. “Nós temos quatro salas e três funcionando”, afirmou. Nilson finalizou explicando que a questão de iluminação pode ser resolvida por um fundo de reequiparação, trocando lâmpadas antigas por outras que economizam energia.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

VEJA TAMBÉM: