Ovários micropolicísticos e fertilidade – por Dra. Camila Mungo

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
  1. Home
  2. /
  3. Notícias Antigas
  4. /
  5. Ovários micropolicísticos e fertilidade...
Existe um certo temor entre as mulheres em relação a cistos
ovarianos e redução da fertilidade. Os cistos ovarianos podem se
apresentar de formas variadas, sendo que a maioria desaparece
espontaneamente. Os que geralmente cursam com uma certa dificuldade para
engravidar são os chamados ovários micropolicísticos. “Micro”
significam pequenos, pois estes diminutos cistos são menores que 9mm de
diâmetro. “Poli” significam muitos, pois geralmente se manifestam numa
quantidade superior a 12. Devido a esta quantidade, geralmente eles
provocam um aumento no volume total do ovário, então eles se apresentam
volumosos ao ultrassom.

Geralmente as mulheres que têm os ovários
micropolicíticos cursam com algumas alterações hormonais que influenciam
o metabolismo. Por isso geralmente estas mulheres apresentam mais
dificuldade para emagrecer, aumento do acúmulo de gordura abdominal,
excesso de insulina circulante e falhas menstruais. Algumas ainda
manifestam outros sintomas como excesso de pelos e aumento de
oleosidade. Essas alterações hormonais interferem diretamente no
mecanismo ovulatório, por isso observamos falhas menstruais constantes.

Por
isso associa-se os ovários micropolicísticos á infertilidade. Diante
desta explicação, observamos que não há ovulação em todos os ciclos, daí
a dificuldade. Mas é preciso entender que a mulher NÃO É infértil, ou
seja, ela em a capacidade reprodutiva preservada, mas temos que ajudá-la
a melhorar o fator ovulatório.

Para isso, deve ser avaliado todo o
perfil hormonal, laboratorial de cada mulher e quais as manifestações
que ela apresenta, para podermos direcionar a medicação adequada.

É
fundamental associar atividade física e dieta com restrição de
carboidratos para que seja possível reduzir os níveis de insulina
circulante. Em alguns casos temos que lançar mão de medicamentos usados
em pessoas com diabetes para podermos reduzir este hormônio.

Nas
pacientes que não desejam ter filhos no momento, conseguimos melhorar os
sintomas com uso de anticoncepcionais. Nas que desejam engravidar, a
linha de tratamento é outra. Devem ser corrigidas as alterações
metabólicas para melhora o fator ovulatório e muitas vezes usamos
medicações que ajudam a aumentar as taxas de fertilidade (estimuladores
de ovulação).

Dra. Camila Mungo, ginecologista, obstetra e ultrassonografista,
atende na Clínica Sanus de Rolândia e Londrina e presta serviço de
ultrassonografia fetal à clínica USPAR de Londrina. F: 3255-1562 /
3322-9764.

 
idagencia

idagencia

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

VEJA TAMBÉM: