Candidatos falam sobre saúde

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
  1. Home
  2. /
  3. Notícias Antigas
  4. /
  5. Candidatos falam sobre saúde

Nesta semana, os candidatos a prefeito de Rolândia falaram sobre um assunto que muito interessa aos rolandenses: Saúde e Hospital São Rafael.

O tema foi enviado aos três candidatos, simultaneamente, via  e-mail, pelo JR  no início da semana. Aos candidatos, foi pedido um texto de, no máximo, 400 palavras. Como o espaço para cada candidatura é o mesmo, quanto mais texto, menor a letra e menor a foto. Texto menores suportam letras maiores e fotos também.

Nesta semana, começamos o primeiro rodízio da posição dos candidatos: todos estão indo para a direita, no sentido horário. Dessa forma, João Ardigo e Rodrigo do Locatelli vieram para o primeiro espaço, que era ocupado por Dr. Francisconi e Professor Fiat. Esses últimos foram para o segundo espaço, que era ocupado por José de Paula e Waldemar Moraes – os dois foram para o terceiro espaço, que estava com Ardigo e Rodrigo.

Na semana que vem, novo tema e novo rodízio dos locais dos candidatos. De novo em sentido horário.

Debate

Para auxiliar no processo democrático, o JR irá promover um debate entre os candidatos, nos moldes dos debates das redes de televisão, com perguntas sorteadas, candidato perguntando a candidato. A rádio Cultura já se comprometeu a transmitir o evento, que também deve ter a cobertura via internet.

João Ardigo e Rodrigo do Locatelli
Antes de mais nada, assumo o compromisso de manter o Hospital São Rafael em pleno funcionamento e de estabelecer um diálogo permanente com a direção da entidade. Vamos ajudar a definir as necessidades e estabelecer as prioridades dentro de sua realidade orçamentária.

Então, a minha posição é muito clara e definida sobre como a Prefeitura deve ajudar o Hospital São Rafael. Antes de mais nada, o município deve garantir o repasse financeiro regular e significativo. E deve ser um valor adequado à realidade financeira do município. Vou exigir a fiscalização e a prestação de contas do uso desse dinheiro público. Isso é ser responsável e transparente. A população tem o direito de saber onde e como o seu dinheiro está sendo aplicado.

A primeira necessidade do Hospital São Rafael é obter recurso financeiro. E isso vem de onde? As principais fontes são a Prefeitura e os governos estadual e federal. Portanto, o hospital precisa ter as certidões regularizadas para poder receber o dinheiro proveniente de convênios. Hoje, a entidade não tem essas certidões. Então, este é outro importante acerto administrativo a ser feito pela direção do hospital. E o prefeito pode ser um importante parceiro na tentativa de regularizar essa situação.

Pela Prefeitura vamos reequipar e estruturar melhor as Unidades de Saúde, pois assim ajudamos a desafogar o atendimento do Hospital São Rafael. A solução vem a partir de ações diretas e indiretas, mas que produzem resultados positivos.

Vou acompanhar de perto o dia a dia do São Rafael. Vou fazer com que minha equipe esteja atualizada da situação financeira, administrativa e técnica. Isso vai  prever situações e antecipar medidas para que os problemas sejam minimizados.

Eu tenho o maior respeito pelo Hospital São Rafael e sei da sua importância na saúde do nosso município. Minha ligação com o setor de saúde é muito grande, não como profissional da área, mas, principalmente, como paciente e de quem dependeu e depende até hoje do bom atendimento e funcionamento desse setor. Tenho a experiência de vida que me garante a sensibilidade para entender a importância que o hospital tem para as famílias rolandenses.

Vamos, também, analisar a intervenção que a administração impôs ao hospital. Mas, sem dúvidas, nossa parceria com o São Rafael será no sentido de garantir bons médicos, equipe eficiente, medicamentos disponíveis, estrutura física e aparelhos adequados. Isso é o básico. Mas, é a base para um serviço de qualidade e sustentável.

Dr. Francisconi e Professor Fiat

O diagnóstico do Hospital São Rafael é complexo. São vários os fatores que têm provocado esse caos no único hospital de Rolândia.  A análise não pode ser isolada, pois o São Rafael é parte importante do contexto de Saúde do município. Vamos tentar analisar por parte:

1 – A superlotação é um problema gravíssimo que faz sofrer quem espera o atendimento e estrangula a rotina de trabalho dos profissionais do hospital. A situação é agravada pela falta de resolutividade das unidades básicas, as quais, obviamente, funcionam em situações precárias, apesar do esforço e dedicação dos profissionais.  Na medida em que os Postos de Saúde ganharem melhor estrutura, certamente diminuirá a superlotação do São Rafael.

2 – A falta de recursos é sempre apontada como o maior problema do Hospital São Rafael. Ao longo de anos ouvimos esse argumento. É óbvio que, com mais recursos, poderia se fazer mais investimentos na estrutura do hospital, e principalmente na contratação de mais profissionais.  Porém, a doença crônica do nosso único hospital é a falta de gestão que faz com que os recursos disponíveis sejam aplicados de forma ineficiente, comprometendo todo funcionamento do hospital.

3 – A falta de gestão, ao longo de anos, tem acarretado uma série de problemas ao Hospital São Rafael, ao ponto de ser ameaçado de fechamento, uma medida drástica que atestaria a falência do setor de Saúde de Rolândia.  Sem gestão profissional, baseada em planejamento e aplicação correta de normas específicas para o setor hospitalar, o São Rafael continuará sofrendo o mal do improviso, prejudicando os pacientes e também os profissionais que vivem sobrecarregados.

4 – A falta de gestão e transparência afastam possíveis investidores e ou parceiros, sejam do setor público ou privado. Ninguém investe onde não há segurança, gestão séria e competente, e transparência.

5 –  O desafio será grande, mas temos condições de, como prefeito, elaborar um programa de melhoria e otimização de atendimento nas unidades básicas, o qual diminuirá a superlotação do São Rafael. Também vamos buscar aumentar o valor financeiro dos convênios, e principalmente estabelecer novas parcerias com instituições públicas e privadas para que o Hospital São Rafael tenha plenas condições de funcionamento de oferecer assistência de qualidade aos pacientes.

6 – É preciso registrar que, com o Fábio Sambatti à frente da administração o quadro começa a mudar. Também é preciso reconhecer que, mesmo trabalhando em condições precárias, o empenho dos profissionais do hospital tem sido exemplar e faz a diferença.

José de Paula e Waldemar Moraes

Zé de Paula tem um compromisso com Rolândia. Compromisso com a saúde, compromisso com a população.

Falando em saúde…

HOSPITAL SÃO RAFAEL
A administração de Zé de Paula está resgatando o Hospital São Rafael.

Foi necessária uma atitude do Zé de Paula para constituir uma nova equipe para a gestão do hospital. A Requisição Administrativa feita pela administração do Zé de Paula manteve o Hospital São Rafael funcionando e atendendo. Vale lembrar que essa requisição é de apenas 06 (seis) meses.

CONSELHO DE SAÚDE
Considerando de fundamental importância a participação do Conselho Municipal de Saúde nas demandas da política e orçamento destinado à saúde, faremos junto com o Conselho uma gestão de modo a atender as necessidades da população.

Da mesma forma, é fundamental a participação dos profissionais da área médica e demais membros da equipe gestora do Hospital São Rafael, para alcançarmos o adequado atendimento à saúde da população.

Algumas metas para a saúde, tais como:
– Ampliar o atendimento de 15 horas para 24 horas no Pronto Atendimento (P.A.);
– Reforma nos Postos de Saúde;
– Ampliação do Posto de Saúde do Bartira;
– Melhoria no TEC.

idagencia

idagencia

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

VEJA TAMBÉM: