Um rolandense no circo da Fórmula 1 em 2016

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
  1. Home
  2. /
  3. Notícias Antigas
  4. /
  5. Um rolandense no circo...
A partir do dia 20 de março, quando se inicia a temporada 2016 da Fórmula 1, o mecânico de composição Luiz Tiago Conte Fadel, 36 anos, poderá ser visto no box da equipe Sauber. O que tem isso? Acontece que Tiago é rolandense e tem muitos amigos em Rolândia, que deixou no final da década de 1990, quando se mudou para a Suíça. 

Tiago é mecânico de composição e trabalhou por quase dois anos no túnel de vento da equipe, onde eles testam um protótipo que no futuro será reproduzido em escala 1:1. Amigo próximo de Felipe Nasr, piloto da Sauber, o rolandense conversou com a reportagem do JR e contou que foi convidado para trabalhar no box da equipe na temporada 2016. A sua estreia na F-1 será no Grande Prêmio de Melbourne, na Austrália, no dia 20 de março, às 02 da madrugada (horário local: 16 horas). “Os rolandenses poderão me ver nos Pit Stops”, afirmou Tiago.

Para ser melhor identificado durante o Pit Stop da Sauber, Tiago explicou onde ele ficará nos boxes. “Eu fico do lado direto na asa dianteira do carro. Se a câmera pegar o carro de frente, eu estarei do lado esquerdo do bico”, esclareceu Tiago. “Eu sou responsável por tirar o bico do carro se ele precisar ser trocado em caso de uma batida. Eu tiro a asa dianteira e o meu colega do lado é que coloca a asa nova”, ressaltou o mecânico. “Também sou responsável pela regulagem da asa dianteira se for necessário. Durante os treinos e as corridas se o chefe da equipe pede para que se suba a asa 3 graus, por exemplo, sou eu que farei isso”, avisou.

Tiago afirmou que fará as 21 corridas e também os 3 treinos que haverá no ano – o primeiro é em Barcelona, onde ele ficará um mês. “Viajamos no dia 20 de fevereiro”, revelou ao JR. O mecânico prometeu enviar fotos dos circo da F-1 para que o JR publique e mostre aos rolandenses a Fórmula 1 mais de perto. 

O mecânico de composição repara todo tipo de peça que é feita de carbono – a carroceria inteira dos carro número 12 da Sauber é cuidada por Tiago. “Mas meu sonho é ser mecânico de roda e depois ser chefe de equipe nos boxes. Vou chegar lá ainda”, enfatizou o rolandense. Outra função de Tiago é tirar as peças da fábrica e colocar dentro do caminhão para mandar para os testes e para as corridas. 

Amizade com Nasr
“Minha grande sorte é trabalhar como mecânico do carro 12, o carro do Felipe”, explicou Tiago. O rolandense é um amigo bem próximo do piloto Felipe Nasr. “Quando o Felipe chegou na Sauber, eu já trabalhava lá e ficamos amigos na hora. É muito difícil não falar no Felipe, pois o conheço como ser humano”, revelou Tiago. Quando o piloto está na Suíça, fatalmente sai para fazer alguma coisa com o rolandense. “A gente se fala pelo Whatsapp e troca muita informação sobre o carro. Ele passa o feedback dele como piloto. Estou aprendendo muito com ele na F-1. Ele é muito inteligente, apesar dos apenas 23 anos dele”, afirmou o mecânico. “O Felipe é meu amigo e não teve nada a ver com a minha ida para pista. Eu trabalhava como mecânico aerodinâmico, dentro do túnel do vento, e não tinha contato com ele na pista. Em dezembro de 2015, eu fui surpreendido por um dos meus patrões que me falou que tinha uma vaga no Race Team e eu era um dos candidatos”, afirmou. Na verdade, Tiago já havia sido escolhido entre os cerca de 320 funcionários da Sauber para integrar a equipe Sauber. “Foi muito gratificante saber que fui escolhido como a pessoa adequada para essa vaga”, salientou. “Essa evolução dentro da Sauber veio por meu merecimento e mostra que com trabalho sério tudo é possível”, complementou. 

Vida
Luiz Tiago Conte Fadel nasceu no hospital São Judas, em Rolândia, no dia 26 de dezembro de 1979. Filho de Jorge Fadel e de Angela Conte, Tiago cresceu em Rolândia e tinha a sua Turma da Pracinha. “Andávamos de bicicleta por Rolândia toda e nos reuníamos na pracinha em frente da casa do Perazolo”, relembra Tiago. O mecânico não quis falar os nomes dos amigos para não se esquecer de nenhum. São muitos…  

Seu pai era de Arapongas e sua mãe, de Rolândia. “Minha família é muito conhecida e tem ruas em homenagens a meu avô e bisavô, que ajudaram a construir a igreja matriz de Rolândia”, afirmou Tiago, que tem dois tios morando na cidade: Luiz Conte e Toninho Conte.

Tiago estudou a vida toda em Rolândia. “Na sexta série, sai de Rolândia para estudar em Cambé, na escola de minha mãe, mas fiquei só três meses lá e voltei para Rolândia”, ri, ao lembrar. Estudou até a quinta série no Santo Antônio, depois passou pelo Roland e foi para o Souza Naves. “Fiquei no Souza até a primeira série do 2º grau, quando vim para a Suíça, em 1997, para estudar”, comentou.

O mecânico tem dois irmãos mais velhos: Gustavo mora na Suíça e Fernando vive em Londrina. “No começo dos anos 90, meus pais se separaram. Em 1995, minha mãe conheceu um suíço e veio morar aqui. Eu só poderia entrar na Suíça até o último dia em que tivesse 17 anos. Minha mãe me chamava e eu resistia, queria ficar com os amigos. Com 16 anos, vim conhecer e não gostei. Minha mãe me chamou para estudar e disse que eu poderia ir embora se quisesse. Fizemos bastante festas e avisei aos meus amigos que iria estudar e que depois voltaria. Já se passaram 18 anos”, relembrou. Ele voltou, mas só para visitar os amigos. “Rolândia é tudo para mim e está no meu coração”, ressaltou. Tiago mora em Neuenhof, a 20 minutos de Zurique.

Depois de três meses no novo país, recebeu a notícia que um dos seus melhores amigos, Mario Augusto (Guto), havia falecido. Resolveu ficar na Suíça e estudar alemão – foi atrás de uma escola profissionalizante.  Seis meses depois de chegar à Suíça, passou em um teste como pintor de carro. Sem saber falar alemão, formou-se em pintura automotiva em 2001 na Suíça. “Fui campeão suíço de pintura automotiva”, relembra Tiago. Desde então, pintava carros. “Esse era o meu trabalho: reparava veículos. Sou nada mais do que um pintor de carro”, ressaltou.

Começou a trabalhar na Sauber em junho de 2014 no túnel de vento, na parte de desenvolvimento do carro. “Foi um ano muito difícil para a Sauber, pois não fizemos ponto nenhum no campeonato. Um ano muito ruim para a equipe. Entrei no túnel de vento no dia 24 de junho e fique lá até o dia 31 de janeiro de 2016.  Fiquei lá exatamente um ano e meio”, relembra Tiago. Esse túnel funciona 24 horas por dia e Tiago trabalhava de noite também.

Influência do pai
Sobre a Fórmula 1, Tiago afirmou que foi influenciado pelo pai, Jorge Fadel. “Meu pai  competiu o campeonato brasileiro de kart de 1975  e o Ayrton Senna concorria em uma categoria de base”, relembra. “Ele teve outros títulos estaduais também e vivíamos na pista de kart. Depois da separação, não tive mais chance de continuar no esporte, mas a Fórmula 1 sempre foi o meu sonho pela minha família. Meu pai vivia no kartódromo de Rolândia, por isso o meu fanatismo pelas corridas. Meu pai não me ensinou a jogar bola, ele me ensinou a andar de kart e a assistir à Fórmula 1”, concluiu Tiago.
idagencia

idagencia

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

VEJA TAMBÉM: