Exorcizada nas eleições, Lei Rouanet financia a USNSA

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
  1. Home
  2. /
  3. Notícias Antigas
  4. /
  5. Exorcizada nas eleições, Lei...
    O projeto Union da Unidade Social Nossa Senhora Aparecida é financiado graças a um recurso intermediado pela Lei Rouanet, que nas eleições de 2018 foi alvo de inúmeras fake news e críticas equivocadas a respeito de sua utilização. Por meio do incentivo fiscal, a lei tem um mecanismo em que a União faculta às pessoas físicas ou jurídicas a opção pela aplicação de parcelas do Imposto de Renda no apoio direto a projetos culturais aprovados pelo Ministério da Cultura. “O pessoal fala muito mal dessa lei, mas para nós, como entidade, só conseguimos manter os projetos sociais com ela”, destacou a gestora da unidade, Irmã Elizabeth Mendes. 

    Tudo começou no final de 2017, quando a Unidade buscou recursos através da lei Rouanet pela Monsanto, que analisou e aprovou o projeto Union, fazendo a parceria com a entidade através da Simbiose Social. Essa plataforma conecta empresas que desejam promover investimentos sociais por meio da lei com entidades que se alinham com as estratégias de responsabilidade social da empresa. 

    Com isso, a Unidade foi contemplada e para financiar o projeto de janeiro a dezembro de 2018, recebeu R$ 183.500, cuja aplicação é bem detalhada na prestação de contas. Atualmente, o projeto Union está atendendo 150 crianças de 6 a 12 anos com oficinas culturais como balé, teatro, informática e capoeira. No ano anterior, a entidade passou por dificuldades e quase fechou. “A captação de recursos é sempre muito difícil”, afirmou a gestora. 

    A lei Rouanet foi o que garantiu que a unidade permanecesse com as portas abertas, mas ainda não é suficiente para todo o atendimento, tornando necessária também a colaboração da comunidade nas promoções da entidade. “Todas as oficinas que tenho no projeto Union são pagas pela lei Rouanet, mas tenho todo o CEI (Centro de Educação Infantil), para crianças de 0 a 5 anos, que preciso de ajuda”, lembrou. “Na medida em que a comunidade ajuda, conseguimos ampliar o atendimento”, ressaltou a Irmã. 

    O projeto rolandense ainda foi divulgado em todo o Brasil porque a Simbiose Social se inscreveu para concorrer ao Prêmio Empreendedor Social do Futuro, pela Folha de S. Paulo. Seus dois fundadores, Mathieu Anduze (25) e Raphael Mayer (24) foram premiados na categoria destinada para empreendedores sociais de até 35 anos responsáveis por iniciativas em consolidação e a Unidade foi pauta de um dos maiores veículos de comunicação do país. “O Brasil inteiro e quem acompanha a Folha através da internet soube desse presente maravilhoso que ganhamos neste ano”, comemorou a gestora. 

    Para 2019, o orçamento aprovado para o projeto através da Monsanto/Bayer é de R$ 363.500, permitindo a ampliação para jovens de até 16 anos. “Fizemos uma parceria com o SESC para encaminhá-los para o Jovem Aprendiz”, revelou a gestora. De 6 a 12 anos, as crianças participam do projeto Union Kids e a partir dos 13 anos, os alunos participam de novas oficinas pelo Union Teen, direcionando-os para o programa de primeiro emprego. 
Para mais informações, ligar para  3015-2970.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

VEJA TAMBÉM: