Empresário, qual é o seu pró-labore?

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
  1. Home
  2. /
  3. Notícias Antigas
  4. /
  5. Empresário, qual é o...

    Caso você não esteja familiarizado com o termo, pro-labore é a retirada financeira mensal que o empresário tem direito a fazer, correspondendo ao seu salário.

    Isso mesmo! Se você é dono do negócio, você tem direito a receber um salário mensal. Um pagamento pelo seu trabalho, esforço e dedicação. Mesmo sendo o proprietário da empresa, você deve se imaginar como um funcionário, tendo assim, direito a uma remuneração fixa mensal.

    O grande propósito dessa atitude é separar aquilo que pertence a sua empresa daquilo que pertence a você. O faturamento da sua empresa não pertence a você. Pertence a sua empresa. A você cabe o seu pro-labore.

    O lucro, resultante da diferença entre as receitas e as despesas de sua atividade, devem ficar no caixa da empresa, compondo o capital de giro ou uma reserva financeira. Jamais pegue dinheiro do caixa da empresa para pagar despesas pessoais. Se você desfalca o caixa da organização, compromete o controle e a saúde financeira da sua companhia. As receitas do seu negócio servirão para pagar as despesas do seu negócio, e não as suas despesas.

    Um dos grandes motivos do fracasso das micro e pequenas empresas reside na confusão que se faz entre o dinheiro da empresa e o dinheiro do dono da empresa. Infelizmente, existem empresários que “embolsam” todo o lucro da empresa, acreditando ter direito a todo esse montante. Um grande e perigoso erro!

    Ao se apropriar de todo o resultado financeiro do seu negócio, você descapitaliza a empresa, colocando em risco o futuro da organização. De nada adianta um empresário rico dono de uma empresa sem recursos.

    O valor do seu pro-labore deve considerar o valor que você precisa receber para suprir suas necessidades e o montante que a sua empresa pode lhe pagar. Defina também a data que fará a retirada desse salário. Ao final do ano, você poderá, ainda, ficar com parte do lucro acumulado, o que chamamos de distribuição dos dividendos. O restante fica na empresa.

Fábio Iwakura é consultor empresarial e diretor da inteligência Consultoria Empresarial. 
Contato: fabio@inteligenciaconsultoria.com.br / (43) 9.8404-0482

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

VEJA TAMBÉM: