Médico rolandense vence prova de travessia no mar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
  1. Home
  2. /
  3. Notícias Antigas
  4. /
  5. Médico rolandense vence prova...

   O médico Milton Ideriha, 63, venceu a 8ª Prova de Natação Noturna, em Bombinhas, Santa Catarina, no sábado (20). A competição é uma travessia em mar aberto, realizada anualmente, e tinha um trajeto de 1.500 metros. Ideriha conquistou o 1° lugar na categoria masculino de 60 a 64 anos. Segundo ele, a largada foi dada às 21h30, sob condições climáticas de chuva e vento. Aproximadamente 260 homens e 90 mulheres participaram da prova. Os nadadores utilizam um sinalizador fluorescente em suas toucas.
 

  O obstetra treina e participa de competições em piscina, mas participa de travessias no mar. Segundo Ideriha, entre dezembro e março as provas de piscina estão em recesso e por isso são feitas mais travessias. “Faço parte da equipe de natação da academia. Fora da temporada de provas de piscina, a gente faz as travessias de mar. Não é a minha especialidade, mas é para não perder o condicionamento”, conta. As categorias são divididas segundo a faixa etária dos atletas.

Experiência
   Ideriha conta que nada desde a juventude, ficou durante um longo período parado e retomou a prática do esporte aos 38 anos. Atualmente, treina em uma academia de Londrina. “Meu forte são provas de piscina. Como voltei a nadar com 38 anos, tive tempo de aprimorar muito mais a técnica e consegui resultados melhores do que quando era jovem”, explica.

  O obstetra já participou de diversas competições regionais, estaduais, nacionais e mundiais. Em 2000, alcançou o 4° lugar no ranking mundial da competição de 50 metros peito, 9° lugar na prova de 100 metros e 11° nos 200 metros. “O meu forte é o nado de peito, mas também faço prova medley, que são os quatro estilos”, relata.
  Ideriha tem aproximadamente 1600 medalhas de provas de piscina e cerca de 120 troféus de travessia. Para o médico, a prática do esporte traz grandes benefícios, como combater o estresse, obesidade e doenças crônicas, como diabetes. “Meu pai tinha diabetes, faço o possível para não ter”.

  Segundo Ideriha, as competições são apenas pretexto para manter o ritmo de treinamentos e não basta praticar uma atividade física, “você tem que procurar algo que goste de fazer”, ressalta. O médico treina natação cinco vezes por semana, no mínimo. “As competições são metas que a gente tem. O corpo cansa, mas a cabeça fica em ordem. A longo prazo é um grande investimento para a saúde”, conclui Ideriha.

idagencia

idagencia

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

VEJA TAMBÉM: