Alunos da escola do Bartira sem aulas

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
  1. Home
  2. /
  3. Notícias Antigas
  4. /
  5. Alunos da escola do...
Em Rolândia, 42 estudantes da rede municipal de ensino ainda estão sem aulas. Eles são da escola municipal Nossa Senhora Aparecida, do Distrito do Bartira, interditada depois das fortes chuvas do dia 11 de janeiro. Mas eles bem que tentaram voltar à aula na segunda-feira (22) – uma semana depois dos outros milhares de alunos –, mas ficaram apenas um dia na nova “escola”, uma casa alugada a cerca de 100 metros da escola interditada. “As crianças tiveram a segunda-feira com aula, mas depois o ônibus que as traria de volta ficou atolado por causa das chuvas”, explicou Rosilene Moloni, secretária de Educação. Um trator teve que ser usado para rebocar o ônibus e a Educação cancelou as aulas e tratou de procurar um novo local para os alunos.

A secretária afirmou que os 42 alunos devem começar a estudar no salão paroquial da Igreja Nossa Senhora Aparecida, no distrito do Bartira mesmo. “Mas apenas provisoriamente, já que a Igreja utiliza o salão para outros fins também”, afirmou Rosilene. Segundo a secretária, as crianças devem ficar cerca de 15 dias estudando no salão e, depois, precisam se mudar novamente. Por isso a Secretaria de Educação já está à procura de um novo local para acomodar os alunos. “As aulas recomeçam, possivelmente, nesta sexta-feira (26) no salão paroquial”, revelou Rosilene Moloni. Para isso, a Educação precisa buscar as carteiras, cadeiras e todo o material que está na casa que foi alugada para trazer até o salão. O problema é que a estrada e o tempo não ajudam.

Na Faccar
As 250 crianças do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Marly do Nascimento, do Conjunto Parigot de Souza, que está interditado pela Defesa Civil por causa das rachaduras ocasionadas pelas chuvas do início de janeiro na cidade, voltaram para as salas de aula, mas da Faculdade Paranaense – Faccar. A Educação e a faculdade assinaram um contrato de um ano para que as crianças fiquem nesse local até que o CMEI esteja reformado. 

“Acredito que o CMEI esteja reformado em cerca de três meses e aí voltaremos para lá”, afirmou a secretária de Educação de Rolândia. O contrato de locação das salas da Faccar é de 12 meses, mas pode ser rompido assim que o Centro de Educação esteja reformado e pronto para receber as crianças.

O CMEI Marly do Nascimento atende a 250 crianças no total. Dessas, cerca de 110, entre 0 e 3 anos, estudam em período integral; já as crianças de 4 e 5 anos ficam no Centro apenas meio período: 70 à tarde e 70 pela manhã. Segundo Rosilene, a Secretaria estava à procura de um lugar que pudesse acomodar as crianças, que fosse perto do bairro e que tivesse espaço suficiente e boas condições de ventilação. A Faccar foi a escolha perfeita. 

A volta às aulas já havia sido adiada – do dia 04 para o dia 15 de fevereiro. Os outros seis CMEIs e doze escolas do município iniciaram o período letivo na segunda-feira (15), conforme o previsto. No total, a rede municipal de ensino de Rolândia tem cerca de 5,5 mil crianças.
idagencia

idagencia

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

VEJA TAMBÉM: