Reinclusão social: o papel do Conselho da Comunidade

  1. Home
  2. /
  3. Notícias Antigas
  4. /
  5. Reinclusão social: o papel...
    O 2º Conselho da Comunidade de Rolândia e seu trabalho de ressocialização foram apresentados aos rolandenses no espaço da Tribuna Livre, da Câmara de Vereadores, durante a sessão da segunda-feira (13). A apresentação do Conselho ficou a cargo de seus membros Leandro Garcia Moreira (tesoureiro), Claudinei Aparecido das Neves (secretário) e Aline Andrade (administrativo). 

    Aline definiu o conselho como “um braço do Fórum”, assumindo a função de acompanhar o detento e sua família durante o cumprimento da pena e também quando ele deixa o encarceramento. “O foco principal é trabalhar na reinclusão social”, explicou Aline. A parceria entre conselho e Fórum começou em 2014, mas em foi abril de 2018 que ele começou as atividades de fato. “Fomos ter uma noção maior em novembro do ano passado, quando participamos de um congresso em Guarapuava”, contou.  

    O conselho rolandense já observa projetos de outros municípios para tentar implantar em Rolândia. “Chamou-nos a atenção um da cidade de Castro, onde uma parceria com a Prefeitura diminui ou isenta o imposto municipal de empresários que fornecerem trabalho para os egressos, além de um certificado de responsabilidade social, para incentivar empregador e empregado”, detalhou Aline. 

    Outra possibilidade é usar a mão de obra deles em serviços comunitários de limpeza pública e capina, por exemplo, sob acompanhamento. “Isso pode acontecer em penas pequenas, como tráfico ou furto”, justificou. Dois deles irão prestar serviços ao 15º Batalhão de Polícia Militar, agora sob comando do Major Mário Celso Andrade. 

    Pessoas que usam tornozeleira eletrônica também são auxiliadas pelo conselho a se candidatar para empregos, assim como aqueles que estão em prisão domiciliar podem receber cestas básicas do conselho para suprir algumas necessidades evitando o retorno à criminalidade. “Temos cerca de 40 egressos em acompanhamento e seis recebem as cestas básicas”, revelou a responsável pela administração. 

    O conselho fornece encaminhamentos para serem entregues junto ao currículo, informando que o ex-detento vem sendo acompanhado por eles e pedindo para que a empresa convoque o candidato para uma entrevista. “Ainda precisamos quebrar as barreiras do preconceito, conscientizar os grandes empresários”, ressaltou. 

    A presidência do conselho é de Hortelino Nunes de Sá. Os telefones para contato são o 3256-0881 ou 9.9840-0084; o endereço é na Av. Tiradentes, 101 (fica no antigo módulo policial) e o e-mail é [email protected] “Nossa intenção é marcar uma reunião com os vereadores e quem mais quiser nos ajudar, para expormos os projetos que temos em mente e ver no que podem nos auxiliar”, concluiu Aline. 

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

VEJA TAMBÉM: