Dezembro Laranja e o projeto Melanoma Brasil

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
  1. Home
  2. /
  3. Notícias Antigas
  4. /
  5. Dezembro Laranja e o...
    O Rotary Club de Rolândia-Caviúna participou da distribuição de protetores solares a duas instituições rolandenses, nas quais seus colaboradores/assistidos trabalham expostos ao sol. A doação dos produtos veio de uma parceria com a empresa Nívea Sun e o Instituto Melanoma Brasil. Em Rolândia, 144 protetores foram doados para o Cervin (Centro de Recuperação Vida Nova) e para a Associação Ambiental Resíduos Recicláveis Rolândia – seus representantes estiveram na Casa da Amizade no sábado (05) para receber os produtos.

    O Instituto Melanoma Brasil é uma organização não governamental sem fins lucrativos criada em 2014, após o diagnóstico de melanoma de sua idealizadora, Rebecca Montanheiro. O instituto distribuiu 50 mil protetores solares para mais de 300 instituições. Entre os beneficiados estão catadores, produtores rurais, famílias em situação de vulnerabilidade social e pacientes em tratamento

    A distribuição conta com o apoio de parceiros institucionais para a distribuição dos produtos em cada cidade, considerando o momento de pandemia. O Rotary Club Rolândia-Caviúna é um desses parceiros. Os protetores eram acompanhados por um folheto com dados sobre prevenção, diagnóstico e sinais de alerta. 

    O melanoma é um tipo de câncer de pele maligno, que se desenvolve nos melanócitos, as células que produzem a melanina, o pigmento que dá cor à nossa pele, cabelo e olhos. No Brasil, o mês de dezembro é dedicado ao combate ao câncer de pele: a campanha é conhecida como Dezembro Laranja.

    O melanoma cutâneo pode surgir na pele de qualquer parte do corpo, incluindo as não expostas ao sol, como o couro cabeludo, as unhas, palmas das mãos e plantas dos pés

    Fatores de Risco
    A exposição prolongada à radiação ultravioleta (UV) emitida pelo sol ou por fontes artificiais (câmaras de bronzeamento).

    Sinais e Sintomas
    Se descoberta em estágio inicial, a doença tem mais de 90% de chance de cura. Fique atento a alguns sinais como: mudanças de cor, tamanho ou espessura em uma pinta já existente, uma pinta ou sinal que começa a doer ou sangrar, feridas que nunca cicatrizam, pintas ou sinais que apresentam crostas ou ulcerações ou um sinal preto ou escuro embaixo das unhas dos pés ou das mãos, que não é provocado por um trauma na região.

    Prevenção
    Uso constante e correto de filtro solar com proteção UVA e UVB e com fator de proteção solar de no mínimo 30. Usar o filtro solar mesmo em dias chuvosos ou frios. Não esquecer das orelhas, nuca, pálpebras, mãos e dorso dos pés.

    Evite exposição ao sol das 10h às 16 horas. Cubra-se! Use chapéus, bonés, óculos escuros e roupas compridas.
Observe sua pele regularmente e consulte um dermatologista pelo menos uma vez por ano.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

VEJA TAMBÉM: