Câmara promete combater queimadas

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
  1. Home
  2. /
  3. Notícias Antigas
  4. /
  5. Câmara promete combater queimadas

  Depois da série de reportagens do Jornal de Rolândia – na edição impressa, na edição online e nas redes sociais –, a Câmara de Vereadores começou a falar sobre as queimadas criminosas que têm acontecido no município. O presidente da Casa, José de Paula Martins (PSD), usou a Tribuna Livre na sessão de segunda-feira (25) para falar do assunto e até exibiu um exemplar do JR da última semana. “Estou indignado quanto às queimadas ocorridas em nossa cidade. No último final de semana, o Jornal de Rolândia fez uma brilhante matéria sobre este assunto, e usei o espaço de hoje para deixar claro que isso é crime ambiental”, afirmou Zé de Paula. O presidente também prometeu que a Câmara auxiliará na buscas de mecanismos para fazer com que a lei seja cumprida na cidade. “Não podemos admitir a irresponsabilidade de alguns, que colocam em risco a saúde e a vida de terceiros”, ressaltou Zé de Paula.

  A reportagem citada pelo presidente da Câmara foi publicada na edição 584, que circulou no dia 23 de abril, excepcionalmente um sábado. Intitulada “Tem fogo? Sem lei e sem punição”, a matéria abordou a colocação de fogo em mato alto como uma maneira de se limpar terrenos e datas. Essas queimadas são crime ambiental, mas também causam estragos na saúde das pessoas. A fumaça causa irritação e provoca danos à respiração, principalmente em crianças e idosos, a fuligem suja calçadas, quintais e roupas – mais água precisa ser utilizada para uma nova limpeza.

  Enquanto isso, o proprietário do terreno, que não cortou ou campinou o local, tem a “sorte” de alguém ter passado e ateado fogo no mato alto. O dono “limpou” a sua data, não gastou nada com isso. Só sujou um “pouquinho” o ambiente e causou danos às pessoas no entorno de seu terreno. Mas o que isso importa?

Culpa
   Executivo com seus fiscais, vereadores, Condema, Secretaria de Meio Ambiente, Polícia Militar. De quem é a culpa. De todos. Rolândia precisa, urgentemente, de uma lei específica que puna os proprietários de terrenos em que o fogo seja ateado para limpá-los. Não importa se ele mesmo tenha colocado, tenha mandado, ou tenha tido a “sorte” de alguém ter colocado fogo sem ele pedir. Multou uma vez, certamente o proprietário do terreno vai querer mantê-lo limpo para não correr o risco de ser multado novamente.

  A lei que existe atualmente pune o infrator no ato do ateamento do fogo, mas essa pessoa precisa ser pega em flagrante. O crime é inafiançável, mas é muito difícil pegar o infrator, pois a pessoa escolhe horários alternativos e dificilmente é flagrada. Uma lei em que se multe o dono do terreno por ter deixado o mato alto e esse mato ter sido objeto de uma queimada parece ser o caminho mais lógico.

idagencia

idagencia

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

VEJA TAMBÉM: