Editorial – Edição: 828 – sexta-feira, 11-06-21

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
  1. Home
  2. /
  3. Notícias Antigas
  4. /
  5. Editorial – Edição: 828...
    Olá, leitor e leitora do JR
   
    Rolândia e os rolandenses recebem um grande presente nesse dia 11, véspera do Dia dos Namorados: não é um presente de namorado, mas muito melhor. O município passa a ter, a partir de hoje, sexta-feira 11 de junho, um Pronto Atendimento 24 horas, uma solicitação antiga de seus moradores. O nosso PA 15 horas cresceu e fica atendendo agora sem fechar em momento algum. Esse serviço ampliado vai facilitar um pouco a vida do Hospital São Rafael, que sempre fica mais cheio depois que o Pronto Atendimento fecha, às 19 horas. Sem dúvida alguma, é um grande avanço para a Saúde de Rolândia. Mesmo antes de inaugurar o PA 24 horas, o prefeito Ailton Maistro já falou em ter uma UPA 24 horas. A ideia é construir uma UBS nova para a Vila Oliveira, pegar a UBS atual e juntar com o PA 24 horas e, pronto, temos a UPA 24 h, que traria dinheiro federal para seu custeio.

    Por falar em dinheiro, a secretária municipal de Saúde revelou que Rolândia deve gastar algo em torno de R$ 400 mil por mês com o novo Pronto Atendimento 24 horas.

    Outra matéria sobre a qual gostaríamos de chamar a atenção é a da página 3. Mas qual delas se há duas nessa página. Sobre as duas. A primeira é com relação aos maus-tratos aos cavalos e afins – no último mês, cerca de 9 animais morreram em decorrência de maus-tratos; dois deles por envenenamento e um por muito esforço puxando uma carroça. É mole? Não. É crime e deve ser denunciado. Na matéria estão os telefones para a denúncia.

    A outra matéria da página 3 é sobre a emenda à Lei Orgânica aprovada pelos vereadores e que lhes permitirá fazer emendas impositivas no orçamento do município. Isso equivale a dizer que cada vereador e vereadora deve ter, em 2022, cerca de 350 mil reais para suas obras ou projetos em Rolândia. Mas 50% desse recurso deve ser usado na área de Saúde. Os vereadores aprovaram em duas sessões e não precisam da sanção do prefeito, já que não é um projeto de lei e sim uma emenda à Lei Orgânica. A matéria é interessante e deve ser lida com muito cuidado para ser entendida. O assunto é sério.

   
Boa leitura

Josiane Rodrigues
Editora

José Eduardo
Editor

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

VEJA TAMBÉM: