São Rafael: administrador fala sobre as dívidas com funcionários

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
  1. Home
  2. /
  3. Notícias Antigas
  4. /
  5. São Rafael: administrador fala...
O administrador do Hospital São Rafael, Nilson Giraldi, falou à reportagem do JR sobre o atraso no pagamento de férias, 13º salário e depósito de FGTS e INSS dos funcionários da entidade. Segundo ele, além dos pagamentos de 2015 que ainda não foram feitos, os depósitos de 2016 não estão sendo efetuados. Outro problema é o atraso no pagamento do salário mensal dos funcionários. 

O Hospital tem 180 funcionários. O valor total das folhas de pagamento do mês de março gira em torno de R$ 264 mil. O pagamento é feito por volta do dia 15, quando é recebido o dinheiro do SUS (Sistema Único de Saúde). “Nosso plano é colocar o dia em ordem. Acredito que, na sequência, já começaremos a liberar as férias”, espera Giraldi.

O gestor relata que o dinheiro para pagar o 13º salário é reservado por meio de provisionamento – que ainda não foi feito por causa do déficit mensal da instituição. A administração, segundo Giraldi, pretendia antecipar o pagamento da primeira parcela do benefício, para quitar a dívida de 2015 e não contrair uma nova. “Até o final do ano queremos pagar o décimo terceiro deste ano”, afirma.
  
AÇÕES – Giraldi explica que a diretoria do Hospital tem feito várias ações buscando diminuir o déficit. “As ações são demoradas, envolvem contratos, prestadores, envolvem funcionários”. Em março, o déficit ficou em torno de R$ 300 mil. A gestão conseguiu uma redução na folha de pagamento de março para abril. Em maio, está prevista mais uma redução. 

Com relação às férias, a administração tem um estudo quase pronto, segundo Giraldi. “Provavelmente vamos começar pelas férias. Entendemos que é melhor não deixar nada mais errado, ir normalizando as coisas e depois começar a resgatar aquilo que está lá atrás”, diz. 

Primeiro, devem ser efetuados os pagamentos de 2016 e depois os valores de 2015. Os vencimentos serão segundo critérios previamente estabelecidos e discutidos com os trabalhadores. Giraldi relata que os funcionários já sabem da situação e são colocados a par das decisões da diretoria. “Dessa forma a gente dá transparência, as pessoas têm a oportunidade de argumentar, o funcionário está entendendo”, concluiu.
idagencia

idagencia

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

VEJA TAMBÉM: