Vereador denuncia perda de feijão junto à Conab

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
  1. Home
  2. /
  3. Notícias Antigas
  4. /
  5. Vereador denuncia perda de...
O vereador Alex Santana (PSD) fez uma denúncia sobre a perda de mais 40 mil kg de feijão por parte do Executivo municipal em novembro do ano passado. O parlamentar abordou o assunto durante o horário das lideranças partidárias na sessão da Câmara Municipal de Rolândia de segunda-feira (13). Alex relatou que visitou a CONAB (Companhia Nacional de Abastecimento), junto ao gerente da empresa, Mário Flor, para falar de uma possível doação e foi surpreendido pela notícia da “perda” do feijão. 

“Na ocasião, como está em alta o assunto feijão, questionamos ao gerente uma possível doação desse alimento para o município”, afirmou o vereador. Segundo ele, o gerente da CONAB contou que foram doados 45120 kg de feijão para o município, em outubro do ano passado. “Foram retirados apenas 5 mil kg, ficando mais de 40 mil kg. O prazo expirou e a Companhia leiloou o lote e o município perdeu o feijão”, lamentou Alex.

O vereador afirmou que o gerente ligou várias vezes na secretaria de Assistência Social para a retirada do lote, mas nada foi feito.  “Esse feijão poderia ser utilizado nos CRAS, para as famílias cadastradas nos programas sociais”, enfatizou Alex.

De acordo com a documentação levantada por Alex, o feijão foi pedido em setembro e liberado em outubro. “Distribuíram 5 mil quilos e deixaram o restante lá”, ressaltou. O gerente da Conab entrou em contato com a Assistência e alertou que o prazo para se buscar o feijão terminaria em 21 de novembro. O prazo terminou e a Conab leiloou as toneladas de feijão tipo 2. 

A reportagem do JR entrou em contato com Eunice Gonçalves, que era secretária de Assistência Social durante a administração de José de Paula, mas ela afirmou que não se pronunciaria sobre o caso.
Em tempo:

O JR também conversou com algumas pessoas ligadas à Assistência que alertaram o jornal sobre alguns pontos: Rolândia estava em período eleitoral na época de se buscar esse feijão e poderia se caracterizar como compra de votos a distribuição do produto; as escolas estariam entrando em férias em dezembro, depois das eleições; o produto poderia se perder, já que a prefeitura não dispões de um local grande e adequado para se guardar 40 toneladas de feijão.
idagencia

idagencia

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

VEJA TAMBÉM: