Novembro Azul: médico na Câmara de Rolândia

  1. Home
  2. /
  3. Notícias
  4. /
  5. Saúde
  6. /
  7. Novembro Azul: médico na...

Parlamentares convidaram o médico Luis Gustavo Crippa de Almeida para falar sobre a campanha de prevenção de câncer de próstata

O médico urologista Luis Gustavo Crippa de Almeida

Na sessão ordinária da Câmara Municipal de Vereadores de Rolândia, realizada no dia 29 de novembro, parlamentares convidaram o urologista Dr. Luis Gustavo Crippa de Almeida a usar a Tribuna Livre para palestrar um pouco sobre o tema da saúde do homem e alertar sobre o risco do câncer de próstata. Novembro foi o mês de alusão à campanha “Novembro Azul”, que trata sobre o combate e a prevenção a esse tipo de câncer.

O especialista, que hoje atua em Londrina, começou a fala agradecendo pela oportunidade e lembrou a todos os presentes que é natural de Rolândia. “Eu sou rolandense. Nasci aqui e morei aqui até os 15 anos. Depois fui para Cambé e para Londrina, mas é sempre um prazer voltar a minha cidade e poder contribuir com algum assunto que entendo um pouco”, disse, modestamente.

De início, o médico citou sobre a ausência do homem na busca pelo atendimento médico, especialmente o preventivo e o quanto isso é preocupante. “O homem é reticente em procurar o atendimento médico e isso sempre acarreta em um problema. Por isso, nós temos campanhas como o Setembro Amarelo, o Outubro Rosa, e o Novembro Azul justamente para lembrar a todos, e também aos homens, da importância de cuidar da saúde”, disse.

Dr. Luis Gustavo alertou sobre a importância desse acompanhamento médico, principalmente a partir dos 40 anos. “Nessa idade, o homem deve sempre ter no mínimo dois médicos, pois as duas coisas que mais acarretam na morte dos homens são, em primeiro lugar, o infarto agudo do miocárdio, e em segundo lugar o câncer de próstata. Então você tem que ter um cardiologista e um urologista para que você faça os seus exames de rotina”, ressaltou.

O médico também comentou sobre o risco de pacientes assintomáticos, ou seja, aqueles que estão desenvolvendo uma doença, mas não sente nenhum sintoma. “Sempre ouço isso dos pacientes, mas eu não sinto nada, nada me incomoda e não estou precisando de nenhum atendimento no momento, mas é justamente nesse momento em que a gente deve procurar o atendimento para fazer os exames de rotina. O câncer de próstata é uma doença silenciosa, assim como hipertensão arterial. Então se a gente não fizer a consulta, se a gente não for atrás não vamos ter o diagnóstico precoce da doença, o que é muito importante”, alertou.

Em seguida, o urologista também explicou um pouco sobre a importância da próstata. “A próstata é um órgão, uma glândula que faz parte do nosso aparelho urinário. Ela fica localizado logo abaixo da bexiga, por isso, ela faz parte do aparelho urinário e reprodutivo. Grande parte do sêmen que o homem produz vem da próstata, em torno de 40% a 50% do líquido seminal é prostático, que tem frutose cuja função é alimentar o espermatozoide. Então, sem a próstata, nós somos inférteis e não conseguiremos produzir espermatozoides saudáveis”, informou.

O médico também comentou sobre a necessidade dos homens em naturalizar esse atendimento e se desvincular de preconceitos. “Fazer o toque e sentir a próstata é um exame barato e não custa nada fazer ele no período adequado. Não dói, não traz nenhum problema ao paciente. Na consulta a gente também consegue conversar e explicar sobre isso. Você não é obrigado a fazer o toque, essa é uma escolha sua, mas cabe a mim explicar que o exame de sangue e os outros exames, não substituem o toque e são coisas complementares”, reforça.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

VEJA TAMBÉM:

Saúde

Rolândia tem nova morte por Covid

Vítima foi mulher de 60 anos que tinha doença pulmonar; município registra 257 óbitos por causa da doença Rolândia voltou a registrar uma morte em